Guga (Bruno Lorenzo/Fotojump/Rio Open)
A polêmica causada por Novak Djokovic com a realização de torneios de exibição na Sérvia e na Croácia sem protocolos de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus, que resultou na contaminação de vários tenistas – entre eles o próprio número 1 do mundo e sua esposa Jelena -, não passou batido por Gustavo Kuerten. O maior nome da história do tênis brasileiro não poupou críticas sobre o que aconteceu no Adria Tour e disse não estar ao lado do líder do ranking da ATP nesse caso.

“Foi uma surpresa porque a gente não espera isso dos nossos ídolos. Foi uma lambança total. Ele já foi a público se retratar, mas é importante separar a pessoa do ídolo, que tem uma margem grande para errar. Como ser humano a gente acerta e erra, mas temos que pensar no tamanho do erro. Acho que ele já fez o exercício da reflexão”, afirmou Guga em uma live com o ex-judoca Flávio Canto.

O brasileiro falou ainda das lições que podem ser retiradas destes torneios de exibição. “Temos que tirar os maiores benefícios possíveis desse erro para os próximos torneios. Djokovic tem empatia, assim como Federer e o Nadal, eu torço para que tenha sido algo pontual. Tem países que estão num grau de menor risco e não temos fórmula pronta para o tênis em tempos de coronavírus”, comentou.

Além do líder do ranking da ATP, também foram contaminados o búlgaro Grigor Dimitrov, o croata Borna Coric e o sérvio Viktor Troicki. Outros que acabaram testando positivo para a covid-19 foram a esposa de Troicki, o técnico e o preparador físico de Djokovic, respectivamente Goran Ivanisevic e Marko Paniki, e Kristijan Groh, treinador de Dimitrov.