(Divulgação/Pinheiros)

DEMÉTRIO VECCHIOLI
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – A FPB (Federação Paulista de Basquete) prevê o retorno às competições com os ginásios recebendo até 30% de suas capacidades e os jogadores utilizando máscara no rosto durante as partidas. As instruções constam em documento publicado nesta terça-feira (26) no site da entidade.

A manifestação da FPB é importante porque o Campeonato Paulista é o segundo principal torneio do país, tanto no masculino quanto no feminino, atrás apenas da liga nacional. É também a competição que costuma abrir a temporada masculina, com jogos a partir de agosto.

No documento, a FPB explica que a estratégia de retomada das atividades dos clubes e campeonatos paulistas será baseada neste protocolo, mas que as orientações “não substituem nem sobrepõem as recomendações médicas e sanitárias estadual, municipais, qualquer tratamento ou diagnóstico”.

Todos os oficiais, técnicos e dirigentes terão que assinar um “termo de autorização e responsabilidade” para jogar, isentando o clube ou a federação de eventuais responsabilidades sobre contaminações. A FPB, porém, não diz o que acontecerá com os atletas que se recusarem a assinar o documento.

O protocolo também prevê que “os atletas jogarão com as máscaras de proteção de face” e que cada equipe poderá levar no máximo dez jogadores para o ginásio. No banco só poderão se sentar, além deles, o técnico e o auxiliar, mantendo distância de 1,5 metro entre si.

Os árbitros terão que utilizar luva, além da máscara, e as bolas do jogo deverão serem higienizadas com álcool, com um pano úmido, sempre que a partida parar. “Os árbitros não deverão tocar nos atletas ou comissão técnicas das equipes”, diz o protocolo. Também são recomendados banhos antes e depois dos jogos.

O protocolo autoriza a presença de público. “Os clubes poderão receber em seus ginásios de esportes o equivalente a 30% da sua capacidade de público, desde que demarcados os assentos, obedecendo o mínimo de distanciamento entre as pessoas”, diz o documento.