Ex-técnico de Hortência e Paula é o 2º brasileiro a entrar no Hall da Fama da FIBA
Barbosa liderou o Brasil a um bronze nas Olimpíadas de 2000. Foto: Divulgação/FIBA

Grande treinador do basquete brasileiro, sobretudo na direção da seleção feminina, Antônio Carlos Barbosa teve sua brilhante carreira reconhecida pela Federação Internacional de Basquete (FIBA) em cerimônia nesta quarta-feira (30). Em Genebra, na Suíça, ele se tornou o segundo técnico do país a entrar para o Hall da Fama da entidade máxima da modalidade.

Aos 77 anos, Barbosa se junta a Kanela, homenageado na Classe de 2007. Técnico da seleção brasileira por mais de 20 anos, em três passagens (1976 a 1984, 1996 a 2007 e na Olimpíada Rio 2016), com 448 jogos internacionais e 330 vitórias, ele foi o técnico do Brasil no bronze olímpico em Sydney 2000, além de ter disputado outras duas Olimpíadas. São seis participações em Jogos Pan-Americanos, com um ouro, dois bronzes e uma prata, além de 10 títulos Sul-Americanos adultos.

“Honestamente, poderia esperar tudo, mas nunca estar no Hall da Fama da FIBA. Sou uma pessoa muito simples, pouco vaidoso, e isso não me levava a imaginar que poderia ter esse reconhecimento da FIBA”, disse, surpreso, Barbosa. “Isso é o gran finale da minha carreira esportiva de técnico. Serei o segundo técnico brasileiro a receber, o primeiro foi o Kanela, que é um nome histórico. Fiquei emocionado. Era muito para a minha imaginação”, seguiu, após saber da honraria da FIBA.

“Na minha carreira, como um todo, sou um dos poucos técnicos que percorreu a estrada desde o começo. Degrau a degrau. Comecei como técnico de colégio, passei a minha vida esportiva praticamente toda em Bauru, saí para ser técnico. E percorri tudo. Seleção paulista, assistente da seleção. Isso te dá um conhecimento muito grande. Da vida, do basquete”, enfatizou, lembrando dos tantos anos dedicados à modalidade. “Uma lição de vida absurda. A minha carreira foi de luta. No final dela, passei a dirigir equipes competitivas, cheguei à assistente da seleção com 26 anos. Cheguei e fiquei. Lancei Paula, Hortência, Marta, Vânia Teixeira, Janeth, e outras, que atingiram o nível excepcional. Peguei várias fases da seleção”, recordou.

Reconhecimento

Ex-jogadora de Barbosa e agora vice-presidente da CBB, Magic Paula parabenizou o treinador. “Barbosa é um baluarte do basquete feminino mundial. Um cara que percorreu todos os estágios, de técnico escolar até a chegada na seleção brasileira Um vitorioso, que passou por diversas gerações, vendo o início e o fim da carreira maravilhosa de nomes históricos do basquete brasileiro e mundial. E seus ensinamentos, vitórias e histórias estão eternizadas com essa homenagem mais que merecida da FIBA para o Hall da Fama. Parabéns, Barbosa”, elogiou a ex-jogadora.

“Meus parabéns ao Barbosa pela entrada no Hall da Fama. O segundo técnico brasileiro a ter esse feito histórico e lindo de reconhecimento por toda a sua trajetória de vida e carreira no basquete feminino”, cumprimentou Guy Peixoto Jr, presidente da CBB. “Barbosa é sinônimo de seleção brasileira, com três passagens e mais de 400 jogos como treinador do Brasil. Uma vida inteira dedicada. Nada mais do que merecido, pelo profissional e pessoa que é”, completou.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Ex-técnico de Hortência e Paula é o 2º brasileiro a entrar no Hall da Fama da FIBA

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.