GP de São Paulo agora será no dia 07 de novembro. (Divulgação)

JULIANNE CERASOLI
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Menos de um mês depois que a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) aprovou o calendário recorde para a temporada de 2021 da Fórmula 1, a categoria já anunciou os primeiros adiamentos e substituições devido à pandemia de Covid-19.

Os GPs de abertura da temporada, na Austrália e na China, foram adiados, e, assim, a prova em Ímola, na Itália, voltará como substituta. A corrida de Melbourne foi transferida para novembro, o que fez o GP de São Paulo mudar de data, agora marcado para ocorrer no dia 7 de novembro, uma semana antes que o inicialmente previsto.

Assim, a temporada da F-1 vai começar com o GP do Bahrein, no dia 28 de março, uma semana depois do que era planejado até então. O GP em Ímola será três semanas depois, em 18 de abril. As confirmações foram anunciadas nesta terça-feira (12).

Já a terceira prova deve ser em Portugal, em uma dobradinha com a Espanha. Assim, Portimão poderá receber, em 2 de maio, a F-1 pela segunda vez, enquanto o GP em Barcelona deverá ocorrer em 9 de maio. No entanto, isso ainda não foi confirmado pela categoria ou pelos promotores portugueses

As confirmações anunciadas pela FIA também indicam que os promotores do GP da Espanha assinaram a prorrogação de seu contrato por mais um ano, já que a prova não tinha acordo fechado para 2021. As renovações com o circuito da Catalunha têm sido anuais.

Os valores do contrato não foram revelados, mas estima-se que o GP da Espanha pague US$ 20 milhões (cerca de R$ 110 milhões) anualmente, sendo que a maior parte do investimento vem do governo local.

Já a mudança no GP da Austrália, que ocasionou na remarcação da prova em São Paulo e das duas etapas finais, no Oriente Médio, era algo que os promotores vinham pleiteando há meses. Ao divulgar o novo calendário, a F1 fez questão de salientar que o esforço para realocar a Austrália “mostra a importância da corrida para a F-1 e para nossos parceiros de Melbourne.”

A prova foi cancelada no ano passado quando tudo já estava pronto para os primeiros treinos livres, dois dias depois de a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarar que o mundo vivia uma pandemia, em março.

Os gastos gerados pela F-1, pagos com dinheiro público em grande parte, têm sido questionados por setores do governo da região de Victoria. Além disso, a prova também costuma ser alvo de manifestações de ambientalistas.

A China, agora fora do calendário, busca uma data na segunda metade do ano, o que só será possível se houver algum cancelamento. Isso porque já há, no segundo semestre, três sequências de três provas em finais de semana seguidos, algo que as equipes queriam evitar ao máximo.

Uma será na Europa, o que não é tão ruim para os times, com Bélgica, Holanda e Itália em sequência. Mas as outras duas tem três corridas em locais bastante distantes um do outro: em Sochi, na Rússia, seguida de Singapura e Japão; e depois Estados Unidos, México e Brasil.

O mais provável, portanto, é que a China só consiga permanecer no calendário de 2021 caso não seja possível correr em um destes países, lembrando que Singapura, Japão, EUA, México e Brasil estiveram entre as corridas, a exemplo da China, que não foram realizadas em 2020.

A F-1 vai tentar evitar ao máximo mexer neste calendário, uma vez que as corridas que têm contrato pagam muito mais que aquelas que entram como substitutas, e a categoria precisa se recuperar de um ano de perdas em 2020, em que a Liberty Media, que detém os direitos comerciais da categoria, recebeu uma injeção bilionária da Liberty Group no primeiro semestre do ano.

Não coincidentemente, o comunicado deste terça explicita que, mesmo com as mudanças, “a F-1 segue com seu calendário recorde de 23 corridas para 2021”, como forma de mostrar força aos investidores.
*
O calendário de 2021 da Fórmula 1:
28/03 GP do Bahrein
18/04 GP de Imola
02/05 A ser confirmado
09/05 GP da Espanha
25/05 GP de Mônaco
06/06 GP do Azerbaijão
13/06 GP do Canadá
27/06 GP da França
04/07 GP da Áustria
18/07 GP da Grã-Bretanha
01/08 GP da Hungria
29/08 GP da Bélgica
05/09 GP da Holanda
12/09 GP da Itália
26/09 GP da Rússia
03/10 GP de Singapura
10/10 GP do Japão
24/10 GP dos Estados Unidos
31/10 GP da Cidade do México
07/11 GP de São Paulo
21/11 GP da Austrália
05/12 GP da Arábia Saudita
12/12 GP de Abu Dhabi