(Divulgação/COI)
A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) confirmou nesta quinta-feira uma suspensão de dois anos à Rússia pelo escândalo de doping, o que faz com que o país seja proibido de usar seu nome, sua bandeira e seu hino nas competições até dezembro de 2022, incluindo os Jogos Olímpicos de Tóquio, no ano que vem, e os Jogos de Inverno, que serão em Pequim, na China, no início de 2022.

A decisão da CAS vem do julgamento do recurso impetrado pela Rusada, a agência antidoping russa, da punição de quatro anos imposta pela Agência Mundial Antidoping (Wada) no ano passado.

“O painel da CAS determinou por unanimidade que a Rusada (Agência de Antidoping da Rússia) não está em conformidade com o Código Antidoping Mundial (WADC, na sigla em inglês) em conexão com sua falha em obter a entrega dos dados subjacentes para a Wada”, iniciou o tribunal em sua decisão. A punição, no entanto, diminuiu de quatro para dois anos. “Como consequência, o painel emitiu uma série de ordens que entram em vigor em 17 de dezembro de 2020 por um período de dois anos, ou seja, até 16 de dezembro de 2022”.

Atletas e times russos poderão competir em Jogos Olímpicos e em outros eventos, mas não com seus uniformes e bandeiras. Eles, confirmado que não estão envolvidos em escândalos de doping, poderão competir, mas não representando a Rússia, mas sim sob um bandeira do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Todos esses atletas agora precisam provar que estão limpos e que foram submetidos a testes rigorosos antidopagem para serem elegíveis a competir como atletas neutros na Olimpíada. Caso o COI siga o posicionamento que teve nos Jogos de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul, em 2018. equipes russas de esportes coletivos devem passar pelo mesmo processo.

O COI chegou a excluir a Rússia dos Jogos Olímpicos do Rio-2016 e de Inverno de Pyeongchang, mas deixou nas mãos das federações nacionais a decisão de executar a suspensão. No Rio, por exemplo, os competidores do atletismo não puderam usar a bandeira do país, o mesmo acontecendo com o remo. Em 2018, o pais não participou de nenhuma modalidade, com os atletas, sem a bandeira russa, conquistando 17 medalhas.