(Divulgação)

A fisiculturista paranaense, Amanda Buliki, de 20 anos, se recuperava de uma lesão no joelho na semana em que o Brasil começou a apresentar inúmeros casos da covid-19, em março deste ano. Desde então, ela tem adequado sua rotina de treinos para não perder o condicionamento físico de competição durante a pandemia.

Em entrevista à Banda B, Buliki contou que, até o início do mês, sem poder frequentar a academia, ela usava ‘sacos de arroz’ para se exercitar, além de praticar outras atividades físicas em parques de Curitiba. “Tive essa lesão no joelho em fevereiro e estava me recuperando, mas aí explodiu a pandemia. Então precisei realizar atividades ao ar livre e usar pesos alternativos, como sacos de arroz, porque até a academia do meu condomínio foi fechada durante a quarentena”, explicou à reportagem.

Além de competir oficialmente no fisiculturismo, Amanda Buliki também cursa Direito e, nas horas vagas, se aventura no mundo do Instagram. A digital influencer dá dicas de alimentação, de exercícios e até canta para entreter seus mais de 16 mil seguidores na rede social.

“Eu tento compensar a falta de treinos e de competições com uma alimentação mais regrada. E mostro isso no meu Instagram todos os dias. Tento trazer coisas que podem ajudar meus seguidores. Sem contar que faço parcerias com empresas para a divulgação das marcas e, em troca, ganho produtos para mostrar nos meus posts”, explica.

Sem uma data para o retorno do fisiculturismo no país, a atleta não consegue prever tão cedo sua volta aos campeonatos. “Teríamos um em março, mas foi cancelado. As federações tentaram remarcar o Paranaense e o Brasileiro, mas é complicado porque envolve muitas questões”, completa a fisiculturista.