Julen Lopetegui ficou apenas quatro meses no Real Madrid. (Divulgação/Real Madrid)
Julen Lopetegui não é mais o técnico do Real Madrid. A goleada por 5 a 1 sofrida diante do rival Barcelona, domingo, pela décima rodada do Campeonato Espanhol, foi a gota d’água para que se encerrasse a passagem do treinador pela equipe após quatro meses e meio. A demissão foi decidida após reunião da diretoria nesta segunda-feira.

“A decisão tem como fim mudar a dinâmica em que sem encontra a equipe principal, enquanto ainda são alcançáveis os objetivos da temporada. A direção entende que existe uma grande desproporção entre a qualidade do elenco do Real Madrid, que conta com oito jogadores indicados para o Bola de Ouro, algo sem precedentes na história do clube, e os resultados obtidos até agora”, comunicou o Real.

O ano de 2018 não está sendo nada bom para Lopetegui. Em 13 de junho, a dois dias do início da Copa do Mundo da Rússia, o técnico foi demitido da seleção espanhola por ter aceitado o convite do Real Madrid para substituir Zinedine Zidane.

A Espanha acabou treinada no Mundial por Fernando Hierro, auxiliar de Lopetegui, e, sem brilho, foi eliminada nas oitavas de final pelos anfitriã Rússia, na disputa de pênaltis.

No Real, Lopetegui nem de longe se mostrou capaz de repetir o trabalho de Zidane, tricampeão da Liga dos Campeões. Logo de cara, perdeu a Supercopa da Europa para o Atlético de Madrid, por 4 a 2.

Lopetegui deixou o Real na nona colocação do Espanhol, com apenas 14 pontos, sete atrás do líder Barcelona. Foram quatro vitórias, quatro derrotas e dois empates na competição até o momento. O ataque fez 14 gols e a defesa também tomou 14 gols.

Na Liga dos Campeões, o time tem campanha irregular com duas vitórias e uma derrota. No Grupo G, soma seis pontos e divide o primeiro lugar com a Roma. O CSKA Moscou tem quatro pontos.

No total, Lopetegui comandou o Real Madrid em 14 partidas. Foram seis vitórias, dois empates e seis derrotas. O time marcou 21 gols e sofreu 20.

Havia a expectativa de que o Real anunciasse nesta segunda o italiano Antonio Conte, mas, de acordo com a imprensa espanhola, desacordos nos termos do contrato impediram o acerto entre as partes. Por isso, o time madrilenho será comandado interinamente por Santiago Solari, ex-jogador do clube no início dos anos 2000