Marcelo Gallardo foi punido com suspensão de três jogos e multa (Divulgação/CA River Plate)

O River Plate está confirmado na final da Copa Libertadores contra o rival Boca Juniors. Neste sábado, a Conmebol rejeitou o pedido do Grêmio, que queria a reversão do placar, e manteve o resultado do jogo de volta da semifinal, vencido pelos argentinos por 2 a 1, em Porto Alegre. O técnico Marcello Gallardo foi punido com suspensão nas próximas três partidas – em uma delas, ele não poderá ir ao estádio -, além de multa de US$ 50 mil (R$ 184 mil).

Logo após a partida, o time gaúcho fez uma reclamação formal à Conmebol pedindo a mudança do resultado. O Grêmio pleiteava ser declarado o vencedor da partida por 3 a 0. Com isso, seria o finalista. A alegação foi o descumprimento da punição imposta ao técnico argentino. Mesmo suspenso, Marcelo Gallardo assistiu ao jogo de uma cabine, usou um rádio durante boa parte dele, provavelmente para se comunicar com o auxiliar-técnico. Além disso, ele desceu ao vestiário do River Plate no intervalo da partida.

A audiência começou nesta sexta-feira na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai. Os membros do Tribunal Disciplinar da Conmebol voltaram a se reunir na manhã deste sábado para tomar a decisão.

A Conmebol já havia sinalizado que não aceitaria a denúncia ao confirmar as datas das finais. As duas partidas da decisão estavam previstas para os dias 7 e 28 deste mês. Uma reunião do G-20 (grupo dos 20 países mais ricos do mundo) em Buenos Aires fez as autoridades argentinas pedirem a mudança das datas para os próximos dias 10 e 24 (dois sábados).

Na véspera da decisão da Conmebol, Marcelo Gallardo concedeu entrevista coletiva em Buenos Aires. O técnico do River Plate disse que foi movido “por impulso” para ajudar a sua equipe, mas que entendia que seu clube não deveria ser tirado da final.