Arsene Wenger encerra sua passagem pelo Arsenal. (Divulgação)
Depois de 22 anos à frente do Arsenal, que ele assumiu em 1996, o francês Arsène Wenger anunciou nesta sexta-feira que vai deixar o comando do time inglês no final desta temporada europeia. Será o fim de uma longa era no qual ele se tornou o treinador mais vitorioso da história do clube de Londres, pelo qual conquistou três títulos ingleses, sete da Copa da Inglaterra e outros sete da Supercopa do país.

O comandante, porém, há anos vem tendo a sua permanência no cargo questionada e a saída do mesmo foi pedida com frequência pelos torcedores da equipe, que não consegue ser campeã nacional desde 2004. Neste último título, porém, ele brilhou com o time ao se tornar apenas o segundo treinador a faturar uma edição do Campeonato Inglês de forma invicta, um feito gigante em uma liga nacional tão forte como a Premier League.

Os fracassos recentes, entretanto, também devem ter ajudado Wenger decidir não cumprir o seu atual contrato, que havia sido renovado por dois anos no final de maio de 2017, logo depois de conquistar o seu sétimo título da Copa da Inglaterra pelo Arsenal.

“Depois de cuidadosa consideração e após conversar com o clube, eu senti que este pe o momento certo para eu me demitir no final desta temporada”, afirmou o técnico, por meio de um comunicado, no qual também festejou o fato de poder ter dirigido um time tão tradicional por duas décadas. “Eu sou grato por ter tido o privilégio de servir o clube por tantos anos memoráveis. E comandei o time com total comprometimento e integridade”, completou.

Atualmente, o Arsenal ocupa a sexta posição do Campeonato Inglês e, com o time 14 pontos atrás da zona de classificação à Liga dos Campeões, hoje fechada pelo Tottenham, o último objetivo mais relevante de Wenger no cargo nesta reta final da competição nacional será conquistar uma vaga na Liga Europa.

“Peço aos nossos torcedores para apoiarem o time até o fim para terminarmos a temporada em alta. Para todos os amantes do Arsenal, digo que temos de cuidar dos valores do clube”, disse Wenger, para em seguida enfatizar que sempre amará o time que se tornou uma verdadeira extensão de sua vida e com o qual formou uma das parcerias mais longas do futebol como treinador em todos os tempos.

Após confirmar o seu adeus ao Arsenal para o final desta temporada europeia, Wenger voltará a dirigir a equipe em uma partida neste domingo, contra o West Ham, em casa, no Emirates Stadium, pela 35ª rodada do Campeonato Inglês. A partida começa às 9h30 (de Brasília) e certamente o francês será reverenciado pela torcida pela importante trajetória que trilhou, apesar das muitas críticas que recebeu nas últimas temporadas.