Éder Militão. (Reprodução)

SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) – Com a Europa voltando ao epicentro de contaminações do novo coronavírus no planeta, a Liga dos Campeões foi impactada pela pandemia. Na maior competição de clubes do continente, times da elite do esporte estão sendo duramente atingidos, perdendo atletas para partidas e relatando até mesmo prejuízos físicos a longo prazo. Pelo menos um time já falou em sequelas deixadas no corpo pela doença, com problemas cardíacos e pulmonares.

A situação é completamente oposta àquela da primeira onda de contaminação do Velho Continente. Em março, a edição 2019/2020 do torneio foi interrompida no início do mata-mata. Na retomada em agosto, todos os times ainda classificados foram para Portugal e disputaram a reta final da competição em uma bolha, sem viagens, sem riscos aumentados de contaminação. Dessa vez, as viagens pelo continente estão acontecendo e os protocolos, antes elogiados, já apresentam falhas.

Por enquanto, as autoridades europeias autorizam o futebol profissional mesmo nos países que adotaram recentemente restrições mais rígidas para conter o vírus como Inglaterra, Espanha, Itália e Alemanha. Com a explosão de casos, porém, não é mais possível saber até quando isso continuará.

SHAKHTAR DONETSK
O técnico português Luís Castro, do Shakhtar Donetsk, contou na última segunda (02) que seus jogadores que já não têm mais o vírus no corpo ainda sentem os problemas deixados pela doença. E esses efeitos são graves. O time perdeu por 6 a 0 ontem (03) para o Borussia Mönchengladbach em jogo válido pelo Grupo B.

“Infelizmente, as pessoas não respeitam um vírus tão perigoso como este. Quando olho para os dez jogadores que tivemos infectados, três deles tiveram problemas pulmonares e um teve problemas de coração. Só nessa altura percebi o que estava acontecendo e me fez ficar consciente do perigo”, disse o treinador, sem revelar o nome dos jogadores que passam por problemas.

DÍNAMO DE KIEV
O Dínamo vai enfrentar o Barcelona hoje pelo Grupo G com o time desfalcado. Nada menos que 11 pessoas da equipe tiveram resultado positivo para coronavírus antes de viajar para a Espanha, entre atletas e outros membros da delegação. A Uefa exige mínimo de 13 jogadores disponíveis para que tenha jogo.

Antes da viagem para Barcelona, membros da equipe e jogadores fizeram os testes de Covid-19. Vários jogadores tiveram resultado positivo: Heorhiy Tsytaishvili, Denys Harmash, Mikkel Duelund, Olexandr Karavayev, Tudor Baluta, e Mykola Shaparenko. O assistente técnico e quatro membros do clube também têm o vírus.

AJAX
Outro caso emblemático é do Ajax, que embarcou para a Dinamarca com apenas 17 atletas. Houve um surto de Covid-19, 11 jogadores testaram positivo e ficaram na Holanda. Mesmo diante dessa inusitada situação, o time dos brasileiros Antony e David Neres, que iniciou no banco, fez o suficiente para vencer o Midtjylland por 2 a 1 nesta terça-feira.

Vale ressaltar que o time perdeu o goleiro titular e os dois primeiros reservas. O único jogador da posição disponível era Kjell Scherpen, de apenas 20 anos, e que nunca havia defendido o time holandês profissionalmente. Curiosamente, nas demais posições, o Ajax manteve a maioria dos titulares, o que minimizou o estrago de alguma maneira.

A vitória foi importante. O Ajax pulou para a segunda colocação do Grupo D e segue na briga com a Atalanta, com a mesma pontuação. O Liverpool é o líder com nove pontos e 100% de aproveitamento. Já os dinamarqueses seguem na lanterna.

REAL MADRId
O Real Madrid goleou o Huesca no sábado, pelo Campeonato Espanhol, e Eder Militão testou positivo para Covid-19 na manhã de domingo. O clube realizou uma contraprova, mas não houve alteração. O brasileiro desfalcou os merengues no importante duelo com a Inter de Milão pela Liga dos Campeões nesta terça-feira.

Menos mal que o brasileiro é reserva no elenco de Zinedine Zidane, que contou com os titulares Varane e Sérgio Ramos, que, inclusive, fez um gol. Ele também atua na lateral direita , que tem sido ocupada por Lucas Vásquez. O Real Madrid jogou em casa e venceu na bacia das almas. O brasileiro Rodrygo marcou no fim e garantiu mais três pontos: 3 a 2

Com o resultado, o Real Madrid deixa a lanterna e sobra para a 3ª colocação do Grupo B. O líder é o Borussia Mönchengladbach, que goleou o Shakhtar Donetsk, vice-líder, nesta terça. Os italianos estão na última colocação.

BAYERN
O Bayern também teve um importante desfalque nesta rodada da Liga dos Campeões. Niklas Süle testou positivo para a Covid-19 e não pode enfrentar o Salzburg pela competição europeia. Apesar de o zagueiro ser titular absoluto dos bávaros, a equipe goleou fora de casa por 6 a 2.

Vale lembrar que há cerca de dez dias, o Bayern teve outro caso de Covid. Serge Gnabry também havia testado positivo e desfalcou com o time na estreia da competição contra o Atlético de Madri. Na oportunidade, os alemães golearam os espanhóis por 4 a 0.

O Bayern lidera com tranquilidade o Grupo A com 9 pontos em três partidas. Nem mesmo a Covid-19 atrapalhou a boa campanha dos bávaros, que seguem com 100% de aproveitamento na Liga.