Da Redação

Foto: Reprodução TwitterFoto: Reprodução Twitter

Antes de cair na região de Medellín, o comandante da aeronave que levava a equipe da Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana pediu prioridade máxima para pouso antes da tragédia que deixou 75 mortos. A informação foi divulgada pela Rádio Caracol, uma das principais redes da Colômbia, na tarde desta terça-feira (29), que disse ainda que uma falha no sistema elétrico, devido à falta de combustível, é uma das hipóteses do acidente.

No início da tarde desta terça, a Aeronáutica Civil colombiana confirmou que o grupo de investigação de acidentes já tem as duas caixas pretas em seu poder. Elas devem ser decisivas para esclarecer as causas do acidente.

Entre os mortos, estão jogadores do clube catarinenses, dirigentes e jornalistas. O avião era um British Aerospace 146, gerenciado pela companhia boliviana Lamia. A aeronava teria desaparecido do radar e feito um pouso forçado.

O piloto teria, inclusive, esvaziado os tanques de combustível para evitar uma explosão. O avião, que havia decolado de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, tinha como destino final o município Medellín, onde a Chapecoense disputaria as finais da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional.