Vitória sobre a Bélgica foi a primeira do Brasil no mata-mata da Copa de 2002. (Divulgação/CBF)

A seleção brasileira tem retrospecto positivo contra a Bélgica em jogos de Copa do Mundo. No único confronto entre os dois times, o Brasil levou a melhor por 2 a 0, nas oitavas de final de 2002, ano do pentacampeonato na Coréia do Sul e Japão. Em conversa com a Banda B, o jornalista Lycio Vellozo Ribas, autor dos livros “O Livro de Ouro das Copas” e “O Mundo das Copas”, relembrou a vitória brasileira no mata-mata, com direito a polêmica envolvendo o árbitro jamaicano Peter Prendergast.

“O Brasil ganhou de 2 a 0 e não foi um jogo fácil. A Bélgica teve um gol anulado no primeiro tempo, uma situação controversa. O árbitro marcou uma falta do Wilmots no Roque Júnior e ninguém entendeu porque o gol foi anulado. No segundo tempo, o Rivaldo fez 1 a 0. Com a entrada do Kleberson, o Brasil passou a jogar melhor e desenvolveu o jogo até vencer por 2 a 0. O segundo gol foi do Ronaldo”, contou Ribas.

Para o goleiro Marcos, o jogo contra a Bélgica foi o mais difícil da campanha do título. “Foi bem tenso, né? Fomos muito exigidos e se tomássemos um gol primeiro seria muito difícil reverter. O goleiro sempre espera a primeira bola e, como nos primeiros minutos já veio uma difícil e eu consegui fazer a defesa, vi que eu estava em um bom dia, com confiança. E confiança, para um goleiro, é algo muito importante”, declarou, em entrevista à CBF.

Na partida, o técnico Luiz Felipe Scolari escalou o Brasil com Marcos; Lúcio, Roque Júnior e Edmílson; Cafu, Gilberto Silva, Juninho Paulista (Denílson) e Roberto Carlos; Rivaldo (Ricardinho), Ronaldinho (Kléberson) e Ronaldo.

Além do confronto pela Copa do Mundo, Brasil e Bélgica se enfrentaram em mais três oportunidades, todas em amistosos, e a vantagem também é brasileira por 2 a 1. O primeiro confronto foi em 1963 e terminou com vitória belga por 5 a 1. Dois anos depois, o time brasileiro goleou por 5 a 0. Já o amistoso mais recente foi em 1988 e a seleção ganhou por 2 a 1.