Richarlison. (Lucas Figueiredo/CBF)

Destaque do Everton, da Inglaterra, e sempre chamado pelo técnico Tite para a seleção brasileira, o atacante Richarlison afirmou nesta terça-feira que quer usar a sua visibilidade para ajudar em causas sociais que achar importantes. Em suas redes sociais com mais de 3 milhões de seguidores, já divulgou posicionamentos em defesa da saúde, do meio ambiente, da luta antirracista e do combate à violência contra a mulher.

“Quando tiver uma causa importante eu sempre vou botar a cara, ainda mais jogando na seleção e na Inglaterra. Eu tenho essa visibilidade e sei que as autoridades olharão com carinho”, comentou o jogador, em entrevista coletiva na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), onde treina com a seleção para os jogos contra Venezuela e Uruguai, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022.

“Isso é uma coisa que eu bato muito na tecla principalmente nas redes sociais, ajudar o máximo de pessoas. Hoje sou embaixador da USP para combater o coronavírus, tento levar minha visibilidade para as pessoas de todo mundo e ajudar quem precisa Uso de uma forma correta e o (Marcus) Rashford (jogador do Manchester United) serve de inspiração porque ajudou muitas crianças na Inglaterra. Outros também podem ajudar de alguma forma, mas isso é por conta deles, nem todos os jogadores vão colocar a cara, mas é importante fazer isso para servir de exemplo aos outros”, disse o atacante.

Titular e autor de um gol na última partida do Brasil – vitória por 4 a 2 contra o Peru, em Lima, em outubro -, Richarlison deverá começar jogando contra os venezuelanos nesta sexta-feira, no estádio do Morumbi, em São Paulo, mas lamentou a ausência de Neymar. O atacante do Paris Saint-Germain se recupera de uma lesão muscular na perna esquerda e pode voltar na partida contra os uruguaios, na próxima terça, no estádio Centenário, em Montevidéu.

“Já jogamos sem o Neymar na Copa América e fomos campeões. Claro que sentimos a ausência dele porque é um jogador de extrema qualidade. Ele é o protagonista da seleção. Temos uma base e já sabemos o que temos que fazer, com ou sem ele. Agora é procurar dar o melhor para vencermos todos os jogos”, comentou.

Uma das opções de Tite para encarar a Venezuela é usar um trio de ataque formado por Richarlison, Roberto Firmino e Everton. O jogador do Everton disse que quer estar em campo, independente de quem jogar ao seu lado. “Vamos ver o que o Tite vai falar durante os treinos. Claro que temos muitos atacantes. Vamos procurar trabalhar para conquistar a nossa vaga. Todos que estão aqui vão fazer o seu melhor para honrar a camisa da Seleção. Independente de quem for entrar, vamos brigar para honrar essa camisa e conquistar os três pontos”, afirmou.