Renato Gaúcho vai manter a base do Grêmio que venceu o Athletico no jogo de ida. (Lucas Uebel/Grêmio)

Técnico mais longevo do futebol brasileiro, Renato Gaúcho é também um dos maiores ídolos da história do Grêmio. No comando do tricolor desde 2016, ele afirma que seu time joga ‘o futebol mais bonito do país’ e, com essa filosofia, venceu uma Libertadores, em 2017, e uma Copa do Brasil, no ano em que assumiu a equipe gaúcha. Mas, segundo o treinador, ele é exceção no cenário nacional. Após a derrota por 1×0 contra o Bahia, em casa, na noite de ontem, Renato criticou a forma ‘resultadista’ com que muitos de seus companheiros de trabalho comandam os times no Brasil. Ele afirmou, ainda, que apenas ‘3 ou 4 times’ gostam de ganhar, e citou o Athletico, de Tiago Nunes, entre eles.

“Infelizmente, o futebol brasileiro está acabando, porque as pessoas jogam pelo resultado, as pessoas jogam para se defender. Meu time não sabe jogar feio. Hoje, só quatro times jogam pra frente no Brasil: Santos, Grêmio, Flamengo e Athletico Paranaense. O resto só pensa no resultado. Isso é ruim. Nunca vou jogar para me defender”, disse em entrevista coletiva após o jogo.

Renato também relembrou sua fase como jogador, em que, segundo ele, era inadmissível que times ‘grandes’ jogassem na retranca. ““Hoje estamos no G6, disputando três competições… Enquanto grandes clubes, disputando somente o Campeonato Brasileiro, estão atrás do Grêmio ou estão dois ou três pontos à frente e já já a gente alcança essas equipes”, analisou o treinador.

Além da sexta colocação no Brasileirão, com 41 pontos, o Grêmio também é semifinalista da Copa Libertadores.