Hélio Cury quer o complemento do Campeonato Paranaense dentro de campo (Geraldo Bubniak/AGB)

Suspenso por tempo indeterminado como medida de prevenção ao novo coronavírus, o Campeonato Paranaense ainda não tem data para retornar. Com três fases de mata-mata pela frente para ainda serem realizadas em meio a incerteza do calendário do futebol brasileiro daqui pra frente, o presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Hélio Cury, garante que o desejo é de um desfecho da competição nas quatro linhas.

“A Federação tem de princípio que futebol se termina dentro de campo. O regulamento tem quartas de final, semifinal e final. Temos que aguardar o desenrolar deste problema do coronavírus. Até quando vai? Ninguém tem uma realidade palpável na mão. Conversamos com a CBF, ela está procurando ajudar a todos. Vamos sentar juntos, CBF e federações para refazer o calendário”, disse o presidente, em entrevista à Banda B.

A suspensão do Paranaense gerou mobilizações variadas dos oito clubes classificados para as quartas de final. O Rio Branco, por exemplo, demitiu toda a comissão técnica e a maior parte do elenco como forma de contenção de despesas. Já o Cianorte, que assim como o Leão da Estradinha não tem calendário além do Paranaense em 2020, suspendeu as atividades pelo menos por uma semana. A Federação promete suporte às equipes neste momento de indefinições.

“Já conversei também com a CBF para ver sobre essa modificação de renovação de contrato, ver o possível para esses dois clubes. Temos que ter boa vontade de todo mundo para achar um denominador comum para resolver todos os problemas”, ressalta.

A definição da paralisação do Campeonato Paranaense veio depois da realização da última rodada da primeira fase da competição com portões fechados. Decisão tomada pela FPF e rechaçada por todos os 12 times participantes nesta temporada.

“Chegamos à conclusão que tínhamos que parar, não tinha mais o que fazer. O quadro é esse, não tem com o modificar. Ligamos para todos os clubes, conversamos com todos eles e todos entenderam que o caminho certo era esse. Todos concordaram plenamente”, complementa Cury.