Valdinei Silva, presidente do FC Cascavel. (Divulgação/FC Cascavel)

Após testar positivo para o coronavírus, o presidente do FC Cascavel, Valdinei Silva, se isolou em casa. Ele, assim como outros dois jogadores da Serpente, o zagueiro Guilherme Borech e o atacante Magno, foram afastados da equipe que retornou os treinamentos nesta semana.

Em entrevista à Banda B, Silva explicou que está praticamente assintomático, com apenas uma ‘leve’ dor de cabeça esporádica. Os demais jogadores estão isolados no centro de treinamento do clube. “Fizemos os testes em todos os funcionários e diretores no último sábado (30). Testamos mais de 40 pessoas e eu, infelizmente, fui confirmado com a doença, assim como outros dois jogadores”, afirmou durante o programa Meio-dia Esportivo. “Os demais jogadores já estão treinando e estarão em isolamento para os próximos dez dias”, acrescentou.

Valdinei Silva também analisou a situação econômica do futebol brasileiro e revelou que a condição financeira saudável do FC Cascavel permitiu que o clube não tivesse grandes impactos durante a pandemia.

“Nosso orçamento, antes da pandemia, era de R$ 5 milhões anuais. Agora, teremos de reavaliar os números. Mas, felizmente, conseguimos manter todos os nossos patrocínios e só precisamos renegociar alguns prazos. Os salários com alguns jogadores também foram alterados e estamos razoavelmente preparados para uma crise assim”, revelou.

Com grande investimento nas categorias de base, o FCC interrompeu as atividades com as jovens promessas do clube. “Formação de atletas é algo muito caro, se feito corretamente. Então, neste momento, entendemos que o lugar mais seguro para os nossos jovens é em casa, com suas famílias. Vamos aguardar tudo isso passar, mas tenho certeza que continuaremos com as atividades de formação de atletas”, admitiu o presidente Valdinei Silva.