(Divulgação/São-Joseense)

Sem previsão para o início da segunda divisão do Campeonato Paranaense, o Independente São-Joseense teve que refazer todo o seu planejamento para a temporada de 2020. O treinador Nei, que teve como passagem como jogador no Athletico e no Paraná, e o restante da comissão técnica foram dispensados para conter gastos. Além disso, o clube conta com apenas três jogadores registrados.

“A gente liberou toda a comissão técnica há cerca de um mês. Um custo que estava arcando e não podia até ter uma ideia de início do campeonato. Na questão de jogadores, na semana que começou a quarentena, nós estávamos com os contratos para serem assinados, mas tivemos que liberar os jogadores. Temos cerca de três, quatro jogadores que eram da categoria de base e já tinham contrato. O São-Joseense não teve muita complicação neste sentido, porque foi na época da assinatura do contrato”, explicou Rodrigo Oliveira, gerente de futebol do São-Joseense, em entrevista à Banda B.

O clube só vai colocar em prática o novo planejamento após uma definição da Federação Paranaense de Futebol (FPF) sobre o início da segunda divisão. “A gente vem tentando se adaptar a esse novo momento. Alguns patrocinadores ficaram em stand-by, alguns contratos já estavam prontos para serem assinados. Os patrocinadores pediram para que a gente aguardasse e não tem uma previsão de início para o campeonato. A gente estava na expectativa que recomeçasse a primeira divisão para que pudesse ter uma ideia de início do nosso campeonato. Agora, com as medidas do governo ‘apertando o cinto’ nas medidas contra a pandemia, o campeonato pode ser adiado novamente. Ficamos na expectativa do reinício da primeira divisão para falar do início da segunda divisão”, comentou o dirigente.

Além de praticamente não ter jogador no elenco, o São-Joseense terá a concorrência de times de outros estados para reforçar o elenco. “Afeta a questão financeira não tenha dúvida e até na contratação de jogador. Existe um calendário meio que definido não só da Federação Paranaense, mas também de outras federações. O Gaúcho da segunda divisão é junto com o nosso, mas o Catarinense é no segundo semestre. Alguns jogadores que tínhamos o contato vão ter oferta de outras equipes. O planejamento está sendo refeito, mas ficamos refém de uma definição da federação, que está pensando no melhor para o futebol paranaense e também no lado humano”, disse Oliveira.

Além do São-Joseense, a segunda divisão do estadual conta com Apucarana, Andraus, Maringá, Araucária, Prudentópolis, Azuris, Batel, Rolândia e Nacional.