Álvaro Góes, presidente do Operário, testou positivo para a Covid-19. (José Tramontin/Operário)

O presidente do Operário, Álvaro Góes, testou positivo para a Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, e está em quarentena desde a semana passada. Em entrevista à Banda B, o dirigente contou que já não tem sintomas e realizou um novo exame nesta segunda-feira (22) para saber se está recuperado.

“No dia 08 deste mês me senti mal, tive dor de cabeça e pouco de resfriado. Eu fiz os exames e deu que estava com coronavírus. Já deu 14 dias e fiz o exame de novo. Não estou com sintoma há uma semana”, relatou o presidente do Operário.

Góes ainda revelou que teve contato direto com o técnico Gérson Gusmão e o auxiliar de enfermagem Márcio Cardoso antes do diagnóstico. Os dois profissionais entraram em quarentena, mas não testaram positivo para a doença.

“Quando eles [jogadores] fizeram o teste, eu não fiz o teste. Fiz na terça-feira passada e acusou que eu estava com coronavírus. Neste tempo, eu não tive contato com nenhum jogador, mas com o técnico e mais uma pessoa da comissão técnica. Eles foram afastados imediatamente e não testaram positivo”, disse o presidente.

Gastos com os testes

De acordo com o mandatário, o Operário gasta cerca de R$ 15 mil para testar todos os funcionários. Por isso, o clube espera uma definição sobre o retorno do Campeonato Paranaense para realizar uma nova bateria de exames. “Cada teste custa, no mínimo, R$ 15 mil para o Operário. Fizemos os testes há três semanas e vamos esperar para talvez fazer novamente na semana que vem. Tem que esperar também para saber como vai ser o campeonato. Se vai voltar, em que data vai voltar e se precisa fazer os testes em todos os jogadores e membros da comissão técnica antes de voltar”, comentou.

Retorno do Paranaense

Em relação ao retorno do futebol paranaense, o presidente do Operário salientou que a decisão tem que vir das autoridades da saúde. “Todo mundo que está no esporte quer que retorne ao futebol, mas precisamos respeitar a Secretaria da Saúde e o próprio Beto Preto para nos falar do retorno”, afirmou.