Valdinei Silva (à dir.) foi até a prefeitura para manter os treinamentos do FC Cascavel. (Divulgação)

O presidente do FC Cascavel, Valdinei Silva, não acredita no retorno do Campeonato Paranaense até 15 de julho, data estimada pelos clubes e Federação Paranaense de Futebol (FPF) na reunião da última sexta-feira (26). Os planos devem ser modificados depois do decreto do Governo do Paraná que proíbe os treinamentos de seis dos oito times que ainda disputam o estadual.

“Ainda não conversamos [com o presidente Hélio Cury, da FPF], mas estamos tentando marcar uma videoconferência para os próximos dias e é só acertar a agenda de todo mundo. Acredito que dia 15 vai ser impossível voltar. De repente, mais para o final do mês”, comentou Silva, em entrevista à Banda B.

Na manhã desta quarta-feira (01), o presidente se reuniu com o secretário de Cultura e Esportes de Cascavel, Walter Parcianello, para negociar a continuação dos treinamentos. “Nós fizemos uma reunião com o secretário Walter Parcianello. O prefeito de Cascavel está discutindo o governo do estado e a cidade, tecnicamente, não aderiu ao decreto. A prefeitura de Cascavel está estudando em outras possibilidade e amanhã vai estar entrando administrativamente na Secretaria da Saúde para liberar a cidade dessa questão”, disse.

“Como nosso clube está isolado, fizemos todos os protocolos há 40 dias e registramos apenas três testes positivos, sendo que eu era um deles e já venci o Covid-19. Os outros dois jogadores também já estão recuperados e treinando. Fizemos mais alguns testes por amostragem e todos deram negativo. Nossos protocolos são mais que adequados. Vamos aguardar a definição da prefeitura e do governo para tomar uma nova medida”, acrescentou.

Ao contrário dos outros times paranaenses que já voltaram a treinar, o FC Cascavel isolou todos os seus funcionários no CT para evitar a disseminação da doença. Até por isso, o presidente espera pela autorização para seguir com os treinos. “Nós fizemos um investimento neste momento e entendemos que se pararmos neste momento, vamos perder o que já foi feito em 40 dias. Se não for possível manter os jogadores isolados, vamos negociar para que possa continuar treinando de uma forma mais física. Esperamos que seja mantido pelo menos o treinamento para que tudo não seja perdido. Vamos trabalhar bastante para defender os nossos interesses”, comentou.