Beto Preto, secretário de Saúde do Paraná, falou sobre a presença de emissoras de rádio nos jogos do Campeonato Paranaense. (Rodrigo Feliz Leal/AEN)

O secretário de Saúde do Estado do Paraná, Beto Preto, afirmou que era “impensável” o retorno do futebol paranaense sem a presença das emissoras de rádio. A declaração foi dada durante o programa ‘Em Pauta’, da Associação de Emissoras de Radiodifusão do Paraná (AERP).

“Futebol sem rádio é impensável. A rádio é o elemento prioritário do futebol e leva a emoção em tempo real. Essas dúvidas vão ser dirimidas nos próximos dias. Da parte da Secretaria de Estado, não houve nenhuma restrição a ninguém”, comentou o secretário.

“Não vejo necessidade de deixar a transmissão do rádio de fora, o rádio é inerente ao futebol e isso será superado nas próximas rodadas do Campeonato Paranaense e na entrada do Campeonato Brasileiro. Que a gente não tenha nenhum retrocesso de lockdown ou quarentena restritiva e possamos ir devagar retomando as atividades”, acrescentou.

Na semana passada, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) tinha autorizado a presença dos funcionários da Dazn, emissora que transmite as partidas no streaming. Porém, a Justiça, após ação movida pela AERP e SERT-PR (Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Paraná), autorizou a presença de até dois profissionais de cada emissora, desde que todos os protocolos de segurança fossem cumpridos.

Sem aglomeração fora do estádio

Beto Preto destacou que o pedido foi para que houvesse o mínimo de pessoas nas praças esportivas, o que resultou na ausência do público nas arquibancadas. Ele ainda pediu para que os torcedores não se aglomerem fora dos estádios. “Nós pedimos que houvesse uma restrição no número de pessoas na praça esportiva dentro e fora de campo. Tanto que o retorno se deu sem público. Não é só público dentro do estádio, mas precisamos que fora do estádio também não tenha aglomeração”, disse.

Ouça as declarações do secretário Beto Preto