Clássico entre Coritiba e Athletico já foi disputado com portões fechados. (Geraldo Bubniak/AGB)

Sem data para retorno por conta da pandemia do novo coronavírus, os clubes do Campeonato Paranaense começam a pensar em ideias para encerrar a competição. O Londrina, através de carta enviada para a Federação Paranaense de Futebol (FPF), sugeriu que os jogos do mata-mata fossem disputados nos estádios de Curitiba e com os portões fechados.

O presidente do Londrina, Felipe Prochet, citou quatro estádios de Curitiba para receber as partidas: Arena da Baixada, Couto Pereira, Vila Capanema e Janguito Malucelli. “As equipes do interior Londrina, Cianorte e Cascavel estariam sediadas durante o período na região, pois os jogos seriam em até 48 horas entre eles e horários diversos, pois os estádios possuem iluminação adequada para prática noturna”, diz trecho da carta.

O que pensam os clubes do interior?

Operário

O presidente do Operário, Álvaro Góes, afirmou que a equipe concorda com a ideia desde que todos os classificados aprovem. “Se for do consenso de todas as equipes, o Operário não vê problema nenhum. Contato que termine o quanto antes o campeonato, desde que seja liberado pelas instituições da saúde. O Operário é favorável, é perto de Ponta Grossa, mas precisam ver se os times que estão mais longe – Cianorte e Cascavel – vão aceitar”, comentou.

Rio Branco

Erminho, presidente do Rio Branco, disse que a prioridade do clube é com a questão financeira para manter as contas em dia com o retorno do Paranaense: “Primeiramente, tem que ser cumprido o regulamento. Segundo, uma precaução nossa é que temos despesas com atletas, funcionários e quem vai ajudar o clube nessa situação com o campeonato voltando. Nós vamos trazer atletas, ter mais despesas com passagens e valores que ainda temos para acertar com alguns. A prioridade do Rio Branco é colocar tudo em dia. Só que para isso temos que ir atrás de verbas. Ninguém está preocupado como o clube vai fazer para sanar essas despesas. O contrato com os atletas acabam agora no dia 30 e como fica essa situação? Tem que ficar no aguardo, mas não pode dizer o que é o melhor”, disse.

A reportagem da Banda B também entrou em contato com dirigentes de Cianorte e FC Cascavel, mas não obteve resposta até o fechamento da reportagem.

Presidente da FPF é contra

Antes da carta enviada pelo Londrina, o presidente da FPF, Hélio Cury, já se manifestou contrário a ideia. “Pessoalmente, eu discordo. Temos oito times no campeonato, sendo três na capital, um a 100 km e outro a 110 km. Cinco times estão próximos. O máximo que pode se viajar é para Londrina, Cianorte e Cascavel”, comentou.