Leila Pereira, presidente do Palmeiras, afirmou que as críticas que recebe são exageradas por ser uma mulher em um universo ‘totalmente machista’ e por ser sincera demais no comando do clube. A fala da mandatária aconteceu na reunião do Conselho Deliberativo na noite desta segunda-feira (23).

O discurso da dirigente do Palmeiras foi forte desde o início. “Tem um filósofo que eu gosto muito, que é o Nietzsche, um alemão, que ele sempre diz e é uma questão que eu faço para vocês: quanta verdade vocês conseguem suportar? Por que eu acho que o grande problema, eu tenho dois problemas como dirigente de futebol: primeira delas, eu sou mulher em um universo totalmente machista, presidente deste clube gigante. No meio de clubes de Série A e B não existe nenhuma outra mulher”.

Leila Pereira também rebateu críticas de que teria esquecido da história do Palmeiras antes da chegada dela em 2015, inicialmente como patrocinadora e depois como presidente. “A minha vida é transparente. Eu só vim colaborar com o Palmeiras em 2015 porque eu tinha certeza absoluta de que eu poderia colaborar com o nosso clube. Em momento algum, eu falei que o Palmeiras foi criado a partir de 2015. Interpretam de uma forma extremamente vil, má, a atitude de uma pessoa que só vem colaborar com o nosso clube“.

A “dona do Palmeiras”?

Sem papas na língua, Leila Pereira afirmou que sabia quem está tentando minar internamente o trabalho do Palmeiras “Eu tenho inteligência suficiente para entender quem está criticando para ajudar e quem está criticando para destruir. Aqui não tem nenhum bobo. Se eu cheguei aqui acho que eu devo ter alguma qualidade, apesar de que aqui passaram outras administrações catastróficas. Mas ‘não pode falar por que queremos esquecer’. Eu não quero esquecer. Eu não quero esquecer para que não volte“, atirou.

Ela fechou o discurso desafiando os críticos. “Eu tenho coragem de ser a presidente desse clube gigante. Pode ter certeza absoluta, nós sabemos onde queremos chegar. Não serão 40 ou o número que for de pessoas que vão nos tirar do nosso caminho. A minha força não é bruta, mas tenho força para seguir no meu caminho. Eu não desisto em hipótese alguma. Eu sei que vocês estão do meu lado”, encerrou.

Leila Pereira, presidente do Palmeiras.
Leila partiu para o ataque. Foto: Divulgação/SEP

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Palmeiras: Leila Pereira diz que críticas a ela são machistas

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.