Palmeiras poderá ter grama sintética no seu estádio em 2020 (Divulgação/Allianz Parque)

A Arena da Baixada poderá ter uma nova companhia no Brasil com o piso sintético na próxima temporada. O Palmeiras retomou o projeto junto da WTorre, empresa que administra o Allianz Parque, e deverão mudar o gramado do estádio para 2020.

A ideia vem de um problema recorrente que o local vem enfrentando desde que foi inaugurado, em 2014, com a dupla jornada entre shows e partidas de futebol. Os eventos têm feito com que o clube paulista tenha que disputar jogos fora de seu estádio, no Pacaembu, como já foi inclusive em compromissos decisivos, como a volta das quartas de final da Libertadores, contra o Grêmio, em que o Alviverde acabou sendo eliminado.

O estopim foi no último fim de semana, no empate em 1 a 1 com o Atlético-MG, no Allianz Parque. A má condição do gramado favoreceu a proposta defensiva do adversário, que ‘comemorou’ as dificuldades causadas pelo piso ao time da casa. “Eles sentiram dificuldade, a bola ficou um pouco ‘viva’. Isso dificulta para quem quer propor o jogo e acabou nos ajudando. O Palmeiras coloca a bola no chão, tem jogadores muito técnicos e quando o gramado está assim dificulta”, afirmou o técnico Rodrigo Santana, do Galo.

Os representantes do clube e da administradora viajarão para a Holanda nos próximos dias para aprenderem sobre o processo de fabricação, instalação e manutenção do gramado sintético, que deverá ser colocado na arena em 2020.