Luan. (Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians)

Na reunião realizada na manhã desta segunda-feira na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF) que definiu a paralisação por tempo indeterminado do Campeonato Paulista, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, disse aos outros dirigentes presentes que o atacante Luan se queixou nos últimos dias de dores de cabeça, um dos sintomas do novo coronavírus.

O jogador já apresentou melhoras e não deve realizar o teste para saber se foi infectado, mas ficará em observação nos próximos dias.

Andrés Sanchez citou o caso de Luan quando defendia a paralisação imediata do Campeonato Paulista. Alguns dirigentes levantaram a possibilidade de que as duas rodadas finais da fase de grupos fossem adiantadas para esta quarta-feira e domingo para que a pausa no torneio acontecesse a partir da semana que vem, com os classificados ao mata-mata já definidos.

Andrés Sanchez e o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, foram os mais contundentes na argumentação a favor da paralisação. O presidente do Santos, José Carlos Peres, e o do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, defenderam a pausa de forma mais tímida. Após Andrés citar o exemplo de Luan, todos os dirigentes aceitaram em interromper o Paulistão a partir desta terça-feira.

Luan atuou no último domingo e marcou o gol de empate por 1 a 1 do Corinthians contra o Ituano, na Arena Corinthians, pela 10.ª rodada. O time alvinegro não pôde contar com o meia-atacante Pedrinho, que realizou o exame para saber se está com coronavírus após ter viajado a Portugal para assinar contrato com o Benfica. O teste foi realizado apenas por causa da viagem porque Pedrinho não se queixou de qualquer sintoma da doença.