Foto: Divulgação/Universidade Positivo

O psicólogo Gilberto Gaertner possui uma vasta história de atuação no esporte paranaense e brasileiro. O profissional já trabalhou nos três clubes de futebol de Curitiba e também teve uma passagem pela Seleção Brasileira de vôlei masculino, no começo dos anos 2000. Em entrevista à Banda B, Gaertner falou sobre como a quarentena em tempos de coronavírus pode impactar negativamente os atletas brasileiros.

“É uma situação em que não temos clareza de horizontes próximos e não temos ainda planejamento de médio prazo. Isso afeta os atletas particularmente porque eles desempenham, como sustento, uma atividade motora. Nesses casos, você sai da rotina, não tem controle do que acontece, tem a incerteza de como será o calendário e isso causa uma grande ansiedade e pode levar a um estado depressivo. A própria mudança de rotina é complexa. Se a pessoa fica em casa, a impressão é de que está em um fim de semana extensivo. Os atletas podem consumir bebida alcoólica em excesso e o ganho de peso pode ser outro grande problema”, analisa o professor da Universidade Positivo.

Gilberto Gaertner também salienta que, durante toda a paralisação, os clubes devem promover um trabalho contínuo de exercícios e de práticas saudáveis que devem ser acompanhadas e seguidas pelos jogadores.

“O ideal é que o atleta de alto rendimento possua um programa de habilidades psicológicas e exercícios orientados pelos preparadores físicos. É óbvio que não é a mesma coisa que treinar em um CT, mas serve para não parar completamente as atividades”, completou.