Foto: Divulgação/CBF

O especialista em gestão esportiva e sócio da Sports Value, Amir Somoggi, não vê sentido em mudar o regulamento do Campeonato Brasileiro das Série A, B e C para ‘encaixar’ o calendário do estaduais na temporada. Segundo ele, o Brasileirão movimenta quase R$ 2 bilhões na economia nacional e deve ser priorizado neste momento de paralisação das atividades, após o coronavírus.

O empresário conversou com a Banda B, durante o programa Balanço Esportivo, e defendeu que o Campenato Nacional não seja afetado. “Sou totalmente contra a mudança de regulamento do Brasileirão. Na minha opinião, deveriam ser sacrificados os estaduais, que não produzem significativamente para a economia. O Campeonato Brasileiro movimenta quase 2 bilhões de reais e deve ser protegido”, afirmou Somoggi.

‘Impacto brutal’

O especialista também analisou o atual cenário do futebol brasileiro e as possíveis consequências da paralisação no caixa dos clubes.

“Diferente de outros setores, o esporte não consegue fazer home office, por exemplo. As pessoas simplesmente deixam de consumir porque precisam ir ao local para que exista um evento esportivo. O impacto será brutal na bilheteria, na transmissão dos jogos, na venda de produtos oficiais e até mesmo nos gastos indiretos, como na compra de gasolina, alimentação e tudo que envolve um deslocamento até um estádio de futebol”, afirmou.

Vencer a crise

Amir Somoggi analisa que, mesmo em um cenário de incertezas, os clubes brasileiros devem agir para minimizar as perdas econômicas em seus orçamentos.

“O grande desafio é conseguir estrutura um trabalho para que os efeitos sejam os menores possíveis. Os times devem negociar com a televisão, evitar a rescisão de um contrato de patrocínio e tentar se aproximar do torcedor”, revela. “Você pode, por exemplo, entregar vários conteúdos na internet para deixar o patrocinador em evidência. Criar coisas novas e saber utilizar a marca de forma competente”, finaliza.