(Lucas Figueiredo/CBF)

Em reunião realizada com representantes dos times das quatro divisões do futebol brasileiro e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), os clubes decidiram dar 20 dias de férias coletivas entre os dias 1º e 20 de abril devido à pandemia do novo coronavírus.

Inicialmente, os jogadores retornam a partir do dia 21 de abril e os estaduais recomeçam no dia 30 de abril ou 1º de maio. A situação pode ser revista dependendo da situação do covid-19 no Brasil. Uma nova reunião será feita no dia 15 de abril para discutir a situação.

Em relação à questão financeira, cada clube vai negociar as suas pendências e uma possível redução salarial dos atletas. Os dirigentes alegam ser difícil manter as despesas enquanto não há campeonatos em andamento, principalmente pela falta de recursos com bilheteria e patrocínio. Por isso, cada equipe precisará analisar com os respectivos jogadores qual será o valor da redução e por quanto tempo valerá.

A iniciativa de negociações individuais, em vez do pacote coletivo, já era vontade de algumas equipes. Inicialmente a CNC (Comissão Nacional de Clubes), liderada pelo presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, tinha o desejo de que após o período de férias, os jogadores tivessem um desconto de 50% no primeiro mês de salários e o contrato suspenso caso a paralisação atingisse o segundo mês.

O diretor de competições da CBF, Manoel Flores, afirmou no encontro que apesar da interrupção, a entidade quer manter a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro nos mesmos formatos, pois considera haver datas disponíveis para acomodar todas as partidas.