Campeonato Brasileiro da Série A deve iniciar no dia 09 de agosto. (Geraldo Bubniak/AGB)

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) reforçou o desejo de iniciar a Série A do Campeonato Brasileiro em 09 de agosto e a Série B no dia anterior. Em entrevista ao repórter Wellington Campos, o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, ressaltou que as conversas avançaram nos últimos dias para o começo dos campeonatos nacionais.

“Nós avançamos muito nos últimos dias com a decisão tomada em reunião com a Comissão Nacional de Clubes e a participação da CBF com o presidente Rogério Caboclo, que sinalizou com a data de 09 de agosto do Brasileirão e a Série B no dia 08, além da retomada dos outros campeonatos”, declarou o secretário-geral da CBF.

A abertura da Série A no dia 09 de agosto contraria o desejo dos quatro principais clubes de São Paulo: Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos. Eles reclamam de uma sobreposição de datas com a reta final do Paulistão e uma possível vantagem técnica dos times que voltaram a campo antes. Já os times da Série B queriam o início da competição no dia 14.

Outro ponto que deve ser adotado no início do Brasileirão é a mudança de cidade de algum clube que não tiver a autorização das autoridades de saúde. Na reunião realizada na semana passada, o Athletico se mostrou contrário a ideia. “A aprovação foi praticamente unânime dos clubes das Séries A e B se houver necessidade por impedimento das autoridades de saúde de jogos a serem realizados em uma ou outra cidade, eles têm o compromisso de se deslocar para outra cidade que tem a autorização. São movimentados adicionais de logística para que possamos fazer as adaptações necessárias”, comentou o dirigente.

Término da temporada apenas em 2021

Para evitar o cancelamento ou suspensão de qualquer competição, Feldman destacou que a temporada só deve terminar em fevereiro de 2021. “O desejo da CBF é cumprir integralmente o calendário neste momento, sem nenhuma suspensão e cancelamento, e adaptando as regras que foram colocadas por essa epidemia, limitando o nosso tempo e tendo a necessidade de invadir o ano de 2021, provavelmente janeiro e até fevereiro”, disse.