Orlando Duarte. (Reprodução)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Morreu nesta terça-feira (15) o comentarista esportivo Orlando Duarte, aos 88 anos. Ele estava internado havia três semanas, após contrair a Covid-19.
Por décadas, Duarte foi considerado um dos maiores críticos da imprensa esportiva. Atuou, ainda, como repórter, locutor, cronista, escritor e executivo de emissoras de TV.
Natural de Rancharia, no interior de São Paulo, é autor de 34 livros sobre o esporte brasileiro e mundial, sendo um dos mais produtivos escritores da crônica esportiva do país. Foi apelidado de “pai da memória esportiva do Brasil” e “o eclético”.
Orlando Duarte escreveu enciclopédias sobre Copas do Mundo e Jogos Olímpicos, eventos que cobriu às dezenas, além de livros sobre grandes clubes, como o São Paulo, e a biografia “Pelé: o Supercampeão”.
Foi também diretor de esportes da TV Cultura a partir de 1960, ano em que a emissora foi inaugurada, e passou por Bandeirantes, Record, SBT e Globo.
Como torcedor, foi apaixonado pela Portuguesa de Desportos e pelo Vasco da Gama.
O comentarista se afastou do jornalismo esportivo em 2012. Em 2018, recebeu diagnóstico de Alzheimer.