Pep Guardiola. (Divulgação/Manchester City)

O futebol na Inglaterra terá a sua retomada nesta quarta-feira com a realização de dois jogos que faltam para completar a 28.ª rodada do Campeonato Inglês. Um desses duelos é o clássico entre Manchester City e Arsenal, em Manchester, que se enfrentarão diante das diversas normas sanitárias propostas pelo governo britânico. Mas essa volta será precedida por uma maratona de jogos para a competição ser finalizada no início de agosto, o que preocupa o técnico espanhol Pep Guardiola.

“O importante é a saúde das pessoas. Mas no final, a Premier League (organizadora do Campeonato Inglês) decidiu que temos que jogar. Vamos jogar e vamos nos adaptar o mais rápido possível. Estamos prontos para jogar um jogo, mas três dias após mais um e quatro dias após outro… não estamos prontos”, pontuou o treinador do Manchester City, em entrevista coletiva nesta terça-feira.

“Você pode jogar uma partida depois de três semanas nas férias, mas passamos dois meses no sofá sem fazer muita coisa. É por isso que os jogadores não estão totalmente prontos. Mas isso é porque precisamos terminar a temporada, temos que limitar o dano econômico dos clubes”, prosseguiu Guardiola.

O espanhol revelou que não tem uma real noção de qual é a condição física de seus jogadores neste momento e crê que nenhum dos outros treinadores também. “Amanhã (quarta-feira) veremos o nível e a partir daí vamos ver o que podemos melhorar. O que estamos preocupados depois de três semanas é a falta de preparação. Não foi como a Alemanha ou Espanha, eles trabalharam cinco ou seis semanas. Todos os times da Premier League tiveram três. Sabemos que não é suficiente, mas é o que é”, disse.

Guardiola afirmou ainda que não costuma pensar a longo prazo, como na partida de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa contra o Real Madrid, que deverá acontecer em agosto. “Tudo o que estou pensando é no Arsenal. E então como nos recuperamos e jogamos contra o Burnley. Temos que fazer um rodízio e usar todos os jogadores. Eles estão naturalmente em boas condições físicas. Sinceramente, não se pensa no Real Madrid ou na Liga dos Campeões agora. Normalmente não preparo jogos ou ideias pensando muito mais (à frente)”.

PERÍODO DIFÍCIL – O treinador do Manchester City reconheceu que passou por um “período difícil” após a morte de sua mãe, Dolores Sala Carrió, no início de abril, devido a uma infecção provocada pelo novo coronavírus.

“Aquilo que vivi pessoalmente é o mesmo que todos vivem. Não houve nada de diferente”, contou Guardiola. “Todas as pessoas que perdemos são importantes para as respectivas famílias. É por isso que as famílias têm que se manter juntar e fortes. Para todos aqueles que perderam elementos importantes da família ou amigos, tem sido um período difícil”, acrescentou.