Foto: Divulgação/Barcelona

O governo espanhol anunciou que os clubes do país poderão realizar treinos em grupos de 14 jogadores a partir desta segunda-feira (18), mesmo nas regiões mais afetadas pela pandemia da Covid-19. É mais um passo para o retorno do futebol no país, paralisado desde a primeira quinzena de março. A intenção da liga é que a primeira divisão seja reiniciada em 12 de junho.

Apesar da autorização para 14, Javier Tebas, presidente da liga, disse que os treinos serão realizados em grupos de 10. Desde o último dia 5, quando os elencos se reapresentaram, as atividades já eram realizadas, mas individualmente, com distância entre os atletas.

Dos 20 times que disputam a elite na Espanha, sete estão em regiões que ainda vivem em estado de alerta por causa do alto número de infectados pelo vírus. Mesmo assim, o governo autorizou Atlético de Madri, Barcelona, Espanyol, Getafe, Leganés, Real Madrid e Valladolid a também voltaram aos treinamentos que já aconteciam, mas apenas de forma individual.

“Eu desejo a volta do futebol, mas não gostaria de ficar longe da minha família”, disse o atacante Lionel Messi, do Barcelona.

Javier Tebas reconhece que o retorno do Campeonato Espanhol dependerá de o país conseguir controlar a doença e estabilizar o número de infectados, mas o reinício das duas principais divisões na Alemanha neste sábado (16) sem incidentes deu otimismo aos dirigentes.