Foto: Reprodução/Instagram

O atacante Richarlison, do Everton da Inglaterra, é um dos mais promissores centroavantes do futebol brasileiro. Um dos artilheiros da Premier League, o atleta de 22 anos não parou suas atividades durante a pandemia do novo coronavírus e tem sido acompanhado de perto, pela comissão técnica do time de Liverpool, e também por seu fisioterapeuta, o paranaense Cid Araújo.

Os dois voltaram ao Brasil, mais especificamente ao Rio de Janeiro, ainda no mês de março, após o estouro do número de infectados na Europa. O fisioterapeuta conversou com a Banda B e salientou que, durante esta parada, o maior desafio para os atletas é manter o foco e encarar com seriedade esse novo momento da carreira.

“O trabalho não pode parar. É muito difícil você conscientizar o atleta de que ele não está de férias e precisa continuar com o esforço de sempre. No caso do Richarlison foi tranquilo, porque ele é muito focado e regrado, mas nós sabemos que ele é exceção”, revelou Araújo.

Estratégia

O fisioterapeuta, com duas passagens pelo Paraná Clube (em 2011 e 2016) também contou à reportagem que tem conversado diariamente com a comissão técnica do Everton, que repassa ao atleta atividades para manter a forma física durante a paralisação.

“Temos criado um trabalho em conjunto com o preparador do Everton, até porque temos uma previsão de retorno do campeonato e não teremos um grande tempo para treinar. Desde o início da pandemia nós criamos uma estratégia e retornamos ao Brasil porque o número de casos na Inglaterra já era muito grande e sabíamos que aqui teríamos condições melhores de treinamento, até porque nosso foco hoje é no fortalecimento e não tanto no aeróbico”, acrescentou Cid Araújo.

De acordo com a rede de notícias BBC, da Inglaterra, ainda não há um retorno definido para a Premier Legue, o campeonato inglês de futebol, mas os organizadores já trabalham com uma data prevista para o dia 8 de junho. Todos os jogos aconteceriam de portões fechados e estádios aprovados pelos órgãos de saúde ingleses.