Cavani. (Reprodução/Redes Sociais)

A Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira que decidiu por denunciar, após uma investigação realizada nos últimos dias, o atacante uruguaio Edinson Cavani, do Manchester United, por conta de uma postagem do atleta realizada em suas redes sociais no final de novembro.

A acusação é de “comportamento impróprio” depois que o uruguaio compartilhou no Instagram um agradecimento a um amigo, que lhe deu os parabéns pelo gol marcado contra o Southampton, pelo Campeonato Inglês, ao escrever “Gracias negrito”. Embora a postagem tenha sido apagada, não foi suficiente para a FA esquecer do assunto.

Denunciado, agora Cavani tem até o dia 4 de janeiro para apresentar a sua defesa. Nesta quinta-feira, o Manchester United veio a público através de um comunicado oficial nas redes sociais para defender o seu atacante.

“O clube e os seus jogadores estão empenhados na luta contra o racismo e vão continuar trabalhando com a FA nesse sentido. Repudiamos a decisão de acusar Cavani por responder a uma mensagem de um amigo, sendo que queremos deixar claro que não havia nenhuma intenção maliciosa no conteúdo da mensagem, que foi depois apagada e pela qual o jogador pediu desculpa quando foi avisado de que poderia ser mal interpretada. Iremos responder ao processo de forma adequada”, informou o clube.

Caso a FA considere que o termo é ofensivo e condene o jogador, uma suspensão mínima de 3 jogos deverá ser a pena aplicada. Em 2011, o também uruguaio Luis Suárez, na época defendendo o Liverpool, pegou um gancho de oito partidas por usar a palavra “negrito” em uma discussão com o lateral-esquerdo francês Evra, do Manchester United.