(Divulgação/Conmebol)

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) está em ‘constante monitoração’ da situação da pandemia do novo coronavírus nos dez países que disputam a Copa Libertadores e a Sul-Americana. A entidade afirma que ‘não há pressa’ para o retorno das competições, visto que a prioridade agora é a saúde de ‘atletas, comissões técnicas, imprensa e árbitros’.

O Diretor de Competições de Clubes da Conmebol, Fred Nantes, conversou com a Banda B, durante o programa Balanço Esportivo, e explicou que ainda não sabe se o prazo estipulado anteriormente, de retorno aos gramados no dia 5 de maio, poderá ser cumprido.

“A Conmebol monitora diariamente a situação nos dez países para ver como se desenvolve a pandemia. Há duas semanas, enviamos uma nota às associações dizendo antes do dia 5 de maio não voltaríamos às atividades. Mas, neste momento, é muito cedo dizer qualquer coisa agora”, afirmou Nantes.

Ele salientou que a organização só irá dar ‘sinal verde’ para a Libertadores assim que os dez países estiverem seguros para a prática esportiva. “Não adianta um país estar com fronteiras abertas e os outros nove continuarem na mesma situação. Temos conversado com as entidades de saúde nacionais porque queremos voltar com segurança o mais rápido possível, mas a saúde é a nossa prioridade”, salientou o diretor.

No mês passado, a Conmebol anunciou que adiantaria 60% dos direitos de transmissões dos clubes sul-americanos para amenizar os impactos financeiros durante a parada. “Sabemos que clubes não estão recebendo patrocínio e fizemos esse adiantamento de 60% àqueles que queiram solicitar essa quantia, tanto para a Libertadores quanto para a Copa Sul-Americana”, acrescentou.