Foto: Matt McNulty – Manchester City/Manchester City FC

O retorno do Campeonato Inglês após a pandemia do novo coronavírus pode ser marcado por partidas mais curtas para aliviar os atletas. Pelo menos é o que sugeriu o presidente da Associação Inglesa de Futebol Profissional (PFA – sigla em inglês), Gordon Taylor.

A Fifa também propôs aumentar para cinco o número de substituições permitidas como forma de evitar lesões e fadiga nos atletas. As medidas tem como único objetivo proteger os jogadores, como explicou Taylor, à emissora inglesa BBC: “a segurança tem que ser primordial”.

O Campeonato Inglês ainda tem 92 partidas a serem disputadas e com a quarentena, os atletas não têm o mesmo treino nem preparação física de quando frequentam o centro de treinamento de seus clubes.

“Não sabemos o futuro. O que sabemos é que proposições foram feitas, que ideias foram colocadas, como a possibilidade de terem mais substitutos e os jogos possivelmente não sendo os 45 minutos completos”, disse Taylor.
Outra solução especulada foi a de não haver rebaixamento na primeira divisão, mas o presidente da Liga Inglesa de Futebol (EFL), Rick Parry, já se posicionou contra a medida.

“Haveria um certo grau de indignação por parte de vários clubes em nosso campeonato, e isso seria uma violação do acordo tripartido”, disse o executivo à mesma emissora.