São José dos Pinhais protestou contra os erros da arbitragem no empate com São Lucas. (Divulgação)

A diretoria do São José dos Pinhais Futsal postou uma nota de repúdio em suas redes após erros de arbitragem no empate em 4 a 4 com São Lucas, em jogo válido pela Série Ouro do Campeonato Paranaense. De acordo com o clube são-joseense, os árbitros Clóvis Bordinoski e Marcelo Oliveira erraram em diversos lances, principalmente no quarto gol da equipe de Paranavaí.

Confira a nota de repúdio do São José dos Pinhais Futsal

O São José dos Pinhais Futsal/Master Cargas vem a público manifestar seu repúdio contra a arbitragem no jogo desta terça-feira (16), em Paranavaí, no jogo contra o São Lucas. Talvez pela falta de transmissão ao vivo da partida, já que o único local que não passa seus jogos é na referida cidade, os árbitros Clóvis Bordinoski e Marcelo de Oliveira impediram que o time são-joseense voltasse para casa com a vitória. O empate em 4×4 trouxe um gosto amargo e de revolta. As medidas cabíveis já estão sendo tomadas para que episódios como esse não virem rotina no nosso futsal.

Deixamos a nossa cidade, percorremos mais de 600 km, fizemos a melhor preparação, foi a nona partida em apenas duas semanas e tivemos nossos planos ceifados por dois cidadãos que talvez não conheçam e não saibam nem de perto a dificuldade que é manter um time de futsal atualmente no Brasil. É por conta de arbitragens ruins, mal intencionados e tendenciosas que o futsal peca pelo amadorismo e dificilmente será olímpico um dia. Enquanto não houver a profissionalização dos homens de apito (com algumas exceções, pois nem todos podem pagar), infelizmente teremos que passar por mais episódios tristes como esse.

Durante o jogo, especialmente no primeiro tempo, os dois árbitros se mostraram totalmente sem preparo, tendenciosos e sem critério algum. O que valia para o TIME DA CASA não valia para o São José dos Pinhais Futsal/Master Cargas. Vamos aos fatos:

Das seis faltas assinaladas para o São Lucas e que culminou com um tiro-livre revertido pelos donos da casa, pelo menos três não aconteceram. No lance do segundo gol adversário, houve falta no ala Murilo, não marcada e que acabou culminando a virada parcial do time de Paranavaí. Para completar, além dos dois gols irregulares, no final do primeiro tempo, quando o jogo já estava 3×2, houve uma penalidade clara em uma bola que bateu no braço do jogador do São Lucas quase na linha do gol. O senhor Marcelo de Oliveira estava de frente para o lance, mas nada marcou.

No segundo tempo, depois que conseguimos a virada por 4×3, o São Lucas, mais desgastado, estourou a quinta falta. Em pelo menos dois lances a arbitragem, se mantivesse o critério adotado nos lances anotados para os donos da casa, poderia ter anotado a sexta falta e o tiro-livre, mas não o fez.

Por fim, para completar a noite de horrores em Paranavaí, veio o lance mais absurdo da partida. Faltando 27 segundos para o fim, o atleta Lucas chutou ao gol, a bola bateria no rosto de Weslei e o camisa 10 do São Lucas colocou os dois braços na frente. A bola mudou de trajetória e chegou até o jogador adversário que marcou o gol irregular. O lance, na verdade, seria a sexta falta para o São José dos Pinhais Futsal/Master Cargas, mas os senhores do apito nada marcaram. Após a partida, contestados, ambos começaram a dar cartões para todos os lados e ameaçaram os jogadores são-joseenses.

Assim, fica aqui o nosso protesto, o nosso repúdio contra as atuações dos árbitros Clóvis Bordinoski e Marcelo de Oliveira. Certamente não mais apitarão jogos do São José dos Pinhais Futsal e esperamos que o departamento de árbitros e a Federação Paranaense de Futsal possam tomar as medidas cabíveis diante de tais fatos lamentáveis.

Atenciosamente,

Diretoria
São José dos Pinhais Futsal/Master Cargas