São José dos Pinhais foi convidado para disputar a próxima Superliga. (Divulgação/São José dos Pinhais)

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e clubes se reuniram nesta quarta-feira (15) para definir a próxima edição da Superliga Feminina da temporada 2020-2021. Na competição feminina, a principal novidade foi o convite para São José dos Pinhais, que terminou em quarto lugar na última edição da Superliga B.

Com as desistências de Flamengo, que fez fusão com o Sesc, e Itajaí, com problemas financeiros, duas vagas foram abertas para a próxima Superliga. Seguindo o regulamento, Valinhos, 11º colocado da edição passada, foi convidado, mas recusou. O convite então para o São Caetano, lanterna, que aceitou.

Já a vaga de Itajaí passou para o Bradesco Esportes, que declinou. O convite então passou para São José dos Pinhais, que demonstrou interesse e tem até a próxima sexta-feira (17) para confirmar a participação na Superliga pela primeira vez na história.

Participaram da reunião os representantes de Praia Clube, Minas, Sesc-RJ, Curitiba Vôlei, Pinheiros, Sesi/Bauru, Fluminense, Barueri, São Caetano e Brasília.

“Hoje foi dado início ao processo de avaliação da regularidade financeira e praticamente todos estão em dia. Algum detalhe ou outro que ficou faltando será revolvido em breve. O que for preciso ajustar, os clubes têm até a próxima segunda-feira, dia 20, que é o prazo que consta no regulamento, para sanar e dar mais um passo adiante na sua inscrição para a Superliga Banco do Brasil 20/21”, comentou Renato D’Ávila, superintendente da CBV.