Brasil busca título inédito da Copa do Mundo Feminina. (Divulgação/CBF)

A oitava edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino começa nesta sexta-feira (07) com a partida entre França, dona da casa, e Coréia do Sul, no estádio Parc dos Princes, em Paris. A coluna do Mundo dos Esportes apresenta as principais informações sobre a competição que será disputada entre os dias 07 de junho e 07 de julho.

Como funciona a Copa do Mundo?

As 24 seleções são divididas em seis grupos de quatro equipes cada. Os dois primeiros de cada chave, além dos quatro melhores terceiros colocados avançam para as oitavas de final. Os jogos serão disputados em nove estádios, sendo que a abertura acontece em Paris, no estádio do Paris Saint-Germain, e a decisão no Parc Olympique Lyonnais, casa do Lyon, atual tetracampeão da Liga dos Campeões da Europa.

O que esperar da seleção brasileira?

O Brasil vai em busca de um título inédito da Copa do Mundo, mas não vive um bom momento dentro de campo. A seleção brasileira vem de nove derrotas seguidas em amistosos, sendo algumas para times inferiores. De acordo com Rafael Alves, criador do site Planeta Futebol Feminino, os torcedores podem sonhar, mas a verdade é que o time brasileiro não está entre os favoritos.

“Sonhar pode. Mas pelo que a gente vem vendo em campo, o desempenho está abaixo. A gente torce para que seja competitiva. Vai que tenha uma vitória convincente na estreia contra a Jamaica e nada melhor que enfrentar uma seleção fraca, embora organizada. Hoje é difícil imaginar o Brasil em uma quartas de final ou na semifinal”, afirmou Alves.

Brasil foi bem convocado?

O jornalista do Planeta Futebol Feminino afirmou que o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, foi coerente pelo que vinha convocando para oa últimos amistosos, mas admitiu que mudaria alguns nomes. “[Tem ] a Gabi Zonotti [meia do Corinthians], melhor jogadora do Brasil nos dois últimos anos, a Yasmin [lateral do Corinthians], destaque no título brasileiro do ano passado, a Darlene [atacante do Benfica], que está fazendo gol atrás de gol em Portugal e já mostrou seu valor. Hoje ainda não temos uma certeza que a Érika não está bem e teremos que fazer uma dupla de zaga com Mônica e Tayla. A Tayla não teve muito desafio na segunda divisão de Portugal, e a Mônica sofre muito pouco na defesa do Corinthians. Tem atletas que eu não convocaria, mas é minha opinião”, comentou.

Confira as convocadas

Goleiras
Aline, Bárbara e Letícia Isidoro

Laterais
Poliana, Letícia Santos, Tamires e Camila

Zagueiras
Érika, Kathellen, Mônica e Tayla

Meio-campistas
Andressinha, Formiga, Adriana e Thaisa

Atacantes
Bia Zaneratto, Cristiane, Raquel, Debinha, Geyse, Ludmila, Marta e Andressa Alves

Os adversários do Brasil

O Brasil está no Grupo C com Austrália, Itália e Jamaica. A estreia na competição será no contra as jamaicanas, no próximo domingo (09), às 10h30 (horário de Brasília), em Grenoble. A seleção ainda joga na fase de grupos contra as australianas, no dia 13, às 11h, em Montpellier, e as italianas, no dia 18, às 16h, em Valenciannes.

Para Rafael Alves, o Brasil disputa a segunda vaga com a Itália, e a Austrália é a favorita para o grupo. “Se me perguntasse há seis meses, eu falaria que o Brasil disputaria a vaga com a Austrália, mas com favoritismo para a Austrália. Hoje, eu vejo o Brasil disputando a segunda vaga com a Itália. A Itália disputou amistosos com seleções do nível dela, se superou e evoluiu muito. É o último jogo e que pode decidir uma eventual classificação para as oitavas de final. Embora eu ache que o Brasil seja ligeiramente favorito”, avaliou.

“A Austrália é uma das melhores seleções do mundo, embora tenha perdido por 3 a 0 para a Holanda. Já a Jamaica, quando enfrenta seleções de um nível acima dela, dificulta e foi assim com a Escócia. É uma seleção fraca, da Concacaf e está em sua primeira Copa do Mundo. O Brasil é favorito contra a Jamaica”, acrescentou.