Se conquistar o ouro, paranaense Thiago Wild ganha vaga na Olimpíada. (Alexandre Carvalho/DGW Comunicação)

Os Jogos Pan-Americanos de 2019, em Lima, no Peru, ganharam um peso a mais pela quantidade de vagas que serão distribuídas para a Olimpíada de 2020. De forma inédita, o evento classificará para Tóquio em 22 das 38 modalidades, sendo 14 de forma direta. As outras darão pontos importantes para os respectivos rankings olímpicos.

As modalidades que darão vaga direta nos Jogos Olímpicos de 2020 são handebol, hipismo adestramento (individual e equipe), hipismo salto (individual e equipe), hipismo CCE (individual e equipe), hóquei sobre a grama, tênis (individual), tiro com arco (individual e equipe), tiro esportivo, vela (Laser masculino e Laser radial feminino), pentatlo moderno, surfe (open surfe), saltos ornamentais (trampolim 3m e plataforma 10m).

Outras sete modalidades darão pontos importantes nos rankings que classificam para a Olimpíada: atletismo, badminton, basquete 3×3, caratê (kata individual e kumitê nas categorias 67 e 75kg no masculino e 55 e 61kg no feminino), levantamento de peso, taekwondo e tênis de mesa.

Algumas provas de atletismo e natação ainda podem dar vagas por marcas ou índices.

Para Marco La Porta, chefe da missão brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Lima e vice-presidente do COB (Comitê Olímpico do Brasil), o objetivo é conquistar o maior número de vagas para Tóquio. “Estamos preparados para isso e montamos uma estrutura para permitir que os atletas briguem por essas vagas”, comentou.