Ginásio do Positivo Júnior será a casa do Curitiba Vôlei na Superliga Feminina. (Pedro Melo/Banda B)

O Curitiba Vôlei terá nova casa para a temporada 2020-2021 da Superliga Feminina. A parceria com o Grupo Positivo segue, mas as partidas não serão realizadas na Universidade Positivo. O novo local de jogos do time curitibano é o Colégio do Positivo Júnior, no bairro Mercês.

Na primeira temporada na Superliga, em dezembro de 2018, o Curitiba disputou duas partidas no Colégio do Positivo Júnior. A equipe venceu o Fluminense por 3 sets a 0, parciais de 25-21, 25-14 e 34-32, e perdeu para o Sesi/Bauru por 3 sets a 1, parciais de 25-19, 25-17, 24-26 e 25-23.

Elenco para a temporada

Em relação às jogadoras, a principal novidade é a presença da ponteira Sassá, de 38 anos, que foi campeã olímpica em 2008 e fez uma longa carreira na seleção brasileira. A experiente jogadora se junta a central Valeskinha, que renovou contrato para a temporada e também levou o ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim.

Além das duas medalhistas olímpicas, o elenco conta com a levantadora Bruninha, ex-Minas, e Bárbara; as centrais Vivian e Lays Freitas, ex-São Paulo/Barueri, e Mari Aquino, recuperada de grave lesão; a líbero Juju Perdigão, ex-Pinheiros, e as ponteiras Pietra Jukoski e Milena, ex-Pinheiros. Já a oposta Júlia, de 17 anos, e a líbero Isadora, de 16 anos, completam o elenco.

Próximo reforço

A oposta Ivna deve assinar com o Curitiba nos próximos dias. Ela já treina no Ginásio da Praça Oswaldo Cruz com as companheiras e está em processo de avaliação. Aos 30 anos, ela tem passagens por Osasco, Balneário Camboriú, Minas, Itajaí e Pinheiros. O último clube dela foi Yenisey Krasnoyarsk, da Rússia.