Curitiba Vôlei disputa a Superliga pelo segundo ano consecutivo. (Diego Luiz Wladyka/Curitiba Vôlei)

O Curitiba Vôlei será mais uma vez o único representante do estado do Paraná na Superliga Feminina. O Maringá, que disputava uma vaga na elite, foi eliminado na semifinal da Superliga B para o Flamengo. Já São José dos Pinhais e Londrina caíram ainda nas quartas de final da divisão de acesso.

A equipe curitibana disputará a Superliga pela segunda vez na história. Em sua estreia, o Curitiba Vôlei avançou para os playoffs em oitavo lugar, com uma campanha de sete vitórias e 15 derrotas, e caiu nas quartas de final para o Minas, que tem o melhor desempenho da competição.

Além do Curitiba, os outros participantes definidos da Superliga 2019-2020 são Minas, Praia Clube, Sesc-RJ, Osasco, Barueri, Sesi/Bauru, Fluminense, Pinheiros, São Caetano e Flamengo. A última vaga fica entre Valinhos e Bradesco Esportes, que disputam a semifinal da Superliga B.

Retorno do Flamengo à elite

A principal novidade para a próxima temporada é a presença do Flamengo, um dos finalistas da Superliga B. O time carioca não disputava a competição desde 2005-2006, quando fez uma parceria com o governo do Rio de Janeiro. No ano passado, o clube voltou a investir no vôlei, teve sucesso na terceira divisão e agora conquistou o acesso para a elite.