Valeskinha jogou como líbero no jogo do Curitiba Vôlei. (Diego Wladyka/Curitiba Vôlei)

A central Valeskinha, campeã olímpica com a seleção brasileira em Pequim-2008, teve uma função diferente na derrota do Curitiba Vôlei para o Fluminense: acostumada a marcar pontos, a experiente jogadora de 43 anos jogou como líbero.

Em entrevista à Banda B, após a partida no Ginásio da Universidade Positivo, Valeskinha comentou sobre a experiência pouco usual na carreira. “Não é uma experiência nova, eu só não joguei de levantadora. Eu já joguei de líbero antes. Quando joguei fora na Itália e na Turquia, eu joguei de ponta. Só falta ser levantadora mesmo, mas estou para ajudar aqui no que precisar de mim”, disse.

A improvisação da central aconteceu porque a líbero titular do Curitiba Vôlei, Aninha, rompeu o ligamento do joelho direito no último treino antes do jogo contra o Fluminense. Com isso, Valeskinha revezou como líbero com Georgia Cattani, reserva da posição.

“A Aninha foi buscar uma bola e rompeu o ligamento cruzado. Na hora de escolher, a Val era quem tinha maior experiência e maturidade para fazer isso. Quando pega os resultados, ela se saiu muito bem. Não comprometeu de forma nenhuma e ajudou o nosso sistema defensivo”, analisou o técnico Durval Nunes, o Duda.