Meia Tiago Real foi revelado pelo Coxa e teve segunda passagem há dois anos (Divulgação/Coritiba)

Conhecido do futebol paranaense, o meio-campista Tiago Real, de 30 anos, vem ganhando um destaque cada vez mais forte fora das quatro linhas. Atualmente na Ponte Preta, há um ano o meia concilia a sua vida de atleta com a de empresário, desde que criou uma empresa dedicada a prestar assessoria integrada para jogadores de futebol.

“A ideia surgiu num papo informal com a minha sócia. Ela vem do ramo de seguros e financeiro e estávamos conversando sobre as minhas dificuldades como atleta. Respondi que o mais difícil era quando me mudava, com escola das crianças, apartamento, transferência de carro, etc. Pensamos nisso e acrescentamos outros quesitos em que os atletas encontram dificuldades. Já atendemos mais de 130 atletas. Tentamos unificar tudo, até para facilitar para o atleta”, explicou o jogador ao Mundo Afora da Banda B.

A ideia inovadora surgiu da própria vivência como atleta de futebol. Foram nas dificuldades das constantes mudanças ao longo da carreira que o ex-meia do Coritiba, Palmeiras, Bahia e Vitória criou uma alternativa para assessorar os companheiros de profissão. “Identifiquei o que é carente para um jogador e abri a empresa. A vida do atleta tem muita mudança, sempre com grande dificuldade para arrumar apartamento, transferir o carro e adaptação. Levamos isso como carro-chefe. Depois colocamos o planejamento financeiro e tributário, algo que o atleta tem dificuldade por falta de tempo e até mesmo de estudo”, comentou.

Mas engana-se quem pensa que a ideia caiu no colo de Tiago Real. A preocupação do jogador no pós-carreira surgiu muito antes, com o gosto que o meia adquiriu ao passar do tempo em economia. O interesse iniciou após um presente da esposa e, desde então, ele se dedica a estudar o mercado financeiro e faz investimentos.

“Quando você é jovem e ganha um certo dinheiro, não pensa lá na frente, quando a carreira acabar. Em 2015 eu ganhei um livro da minha esposa, chamado ‘Casais inteligentes enriquecem juntos’ [do escritor brasileiro Gustavo Cerbasi]. Aquilo me despertou para o lado financeiro e a partir dali fui me aprofundando. Foi algo que fui pegando gosto e fazendo na minha vida pessoal, praticando o investimento, que é importante. Em pouco tempo consegui ter conhecimento e estou aprendendo até hoje, porque o mercado financeiro é muito dinâmico”, disse Real.

Assessor, não empresário

Antes que alguém confunda a atividade de Tiago Real com a de um agente, o jogador fez questão de frisar. O intuito da empresa criada por ele é de prestar assessoria financeira, jurídica e contábil para os atletas e não de empresariá-los. “Costumamos falar que somos um complemento do empresário. Alguns até prestam um serviço a mais, além de negociar o atleta, mas não cuidam do todo. São poucos os clubes que prestam o acompanhamento que a gente faz. Somos o complemento do agente e um braço do clube também”, afirmou.

Ambições pós-carreira

Com 30 anos, o meia ainda tem muita lenha para queimar dentro dos gramados. Mas, mesmo assim, Tiago Real pensa lá na frente. O jogador planeja seguir se preparando e se dedicando ao crescimento da sua empresa, e quer cursar o ensino superior assim que pendurar as chuteiras. “Estou me preparando e espero ainda mais. Assim que terminar a minha carreira, quero fazer uma faculdade para estar ainda mais preparado, pois vejo a empresa com bons olhos para ter um crescimento grande nos próximos cinco anos, e isso vai coincidir com o meu término de carreira. É importante o atleta ter a noção que tem um prazo de validade e que precisa se preparar para isso”, concluiu.

Gostou? Confira a entrevista completa do meia Tiago Real ao Mundo Afora: