Por Juliano Cunha

Última edição foi em Campina Grande do Sul. (Divulgação)_Última edição foi em Campina Grande do Sul. (Divulgação)

Campina Grande do Sul recebe em fevereiro o Extreme Trophy Brasil, o maior evento de off-road pesado em pista fechada do país. A terceira edição vem com novidades principalmente na pista o que requer mais habilidade dos pilotos. Entretanto, a fiscalização promete ser rígida para monitorar eventuais irregularidades. Joselito Voltolini é Auditor dos fiscais e manda o recado :”Lá eu não tenho amigos, lá eu preciso atender ao público e ao evento, eu sou auditor”, disse ele. O evento acontece nos dias 7 e 8 de fevereiro na Arena de Campina Grande do Sul e receberá além dos pilotos, um grande púbvlico que contará com toda infra-estrutura desde área de camping até praça de alimentação.

A primeira edição do Extreme Trophy foi realizada em Almirante Tamandaré, na RMC. A primeira experiência trouxe para a pista os apaixonados pelo off-road pesado, mas tudo ainda era um laboratório. Como não se tinha uma referência de um evento anterior, preparar o Jeep era uma tarefa difícil, além de arriscada, afinal a velocidade é importante, bem como a resistência e preparação do carro. Na segunda edição do Extreme Trophy Brasil, que foi realizada em Campina Grande do Sul, uma Land Rover despontava entre os favoritos. Quem assistia as passagens do Jeep pelos obstáculos chegava a ter dó do carro. Mas e o piloto, será que estava com dó do carro? E com a diferença de dois segundos, muito próxima para esta modalidade, o campeão foi Diogo Mocelin.

No Extreme Trophy, as categorias são divididas pelo tamanho do pneu. Um pneu maior tem vantagem em vencer os obstáculos, mas para isso precisa de uma mecânica mais apropriada, ou seja, motores mais fortes. Por isso, a categoria extrema, tem os maiores pneus, que são escolhidos de acordo com a preparação de cada carro ou escolha do Piloto. Curitiba também é referência neste segmento.

Como o Extreme é uma competição que tem como principal base simular os obstáculos naturais enfrentados nas trilhas, o regulamento foi adaptado para ficar o mais próximo possível do que se enfrenta no meio do mato. Por isso é permitido que o competidor use guincho para transpor os obstáculos da pista. E o guincho, assim como o carro, não pode falhar, sendo também importante a escolha deste equipamento. O mais utilizado e o preferido, praticamente uma unanimidade não somente entre os competidores, mas também entre os trilheiros, os guinchos ekron já fazem parte dos jeeps.

Ouça o Acelera Banda B do último domingo (25) na íntegra: