O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos pediu a suspensão da veiculação do filme “Lindinhas” pela Netflix. O longa tem sido acusado por Damares Alves de sexualizar crianças.

O pedido foi encaminhado à Coordenação da Comissão Permanente da Infância e Juventude. No oficio, o secretário Maurício Cunha (Secretaria Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente) afirma que “o filme apresenta pornografia infantil e múltiplas cenas com foco nas partes íntimas das meninas enquanto reproduzem movimentos eróticos durante a dança, se contorcem e simulam práticas sexuais”.

Cena do filme ‘Lindinhas’

Dislikes

Em agosto, a Netflix teve cerca de 1,1 milhão de dislikes (reprovações) na publicação do trailer do novo filme “Cuties” (“Lindinhas” em português). A plataforma de streaming tem recebido muitas críticas pelo lançamento do filme, que tem um roteiro e imagens um tanto controversas.

Segundo a própria descrição feita pela Netflix no trailer, “Amy, de 11 anos de idade, começa a se rebelar contra as tradições conservadoras de sua família quando fica fascinada por uma turma de dança de espírito livre”.

A questão é que Amy se junta a um grupo de dança conhecida como Twerk, que tem movimentos sensuais, o que gera imagens que sexualizam a protagonista e as outras atrizes com essa idade. Além disso, para entrar no grupo, a garota chega a cometer delitos, como roubar os próprios pais.

Pelo lançamento do filme, a Netflix tem recebido milhares de críticas e acusações de que está promovendo a sexualização precoce das garotas.

“Então, a mãe é a vilã por disciplinar sua filha de 11 anos, depois que ela se junta a um grupo de ‘twerk’ e rouba o dinheiro de seus pais? Está bem”, ironizou uma internauta no post feito pela Netflix no YouTube.

Tentativa de retratação

Na época do lançamento,  a Netflix se desculpou pela polêmica gerada com a divulgação de um banner do filme “Cuties” em suas redes sociais. Na imagem, as personagens do filme (garotas de 11 anos) aparecem vestindo roupas curtas e em posições sensuais da dança ‘twerk’.

“Pedimos perdão pela arte inapropriada que usamos para o filme ‘Cuties’. Foi errado, e a arte não representava corretamente o conteúdo deste filme francês que venceu um prêmio em Sundance”, publicou a página da plataforma, após remover o banner de suas redes.

Porém, apesar da tentativa de retratação em razão da polêmica com o banner, a Netflix continua com a data de lançamento do filme confirmada (9 de setembro). Dessa forma, as imagens e a sexualização das crianças continuará disponível em sua plataforma de streaming.

Veja o trailer: