Já era o final de um longo dia de prova de roupas para o filme “Hebe – A Estrela do Brasil”. A atriz Andrea Beltrão, 56, que interpreta a apresentadora na cinebiografia, conta que estava se “divertindo horrores”, embora um pouco cansada por ter experimentado mais de cem figurinos. Ao vestir as últimas peças, o que incluía uma capa prateada, uma surpresa: no bolso, ela encontra uma medalha de Nossa Senhora.

A joia tinha passado despercebido da família de Hebe, que fez uma revisão antes de entregar as roupas da artista para a produção do longa justamente para evitar que acessórios valiosos, como um brinco de brilhante, pudessem estar entre as peças por engano. “Mas esse medalhão escapuliu”, diz Beltrão.

Andrea Beltrão no papel de Hebe Camargo

Para ela, o achado da joia, naquele momento, tinha algo de sobrenatural. Até porque, afirma a atriz, Hebe era muito religiosa, ao contrário dela. “Pensei: ‘Ah, ela mandou esse recadão para mim, né’.” “Pensei que era uma coisa sobrenatural mesmo. Pô, essa medalha estava na capa, na última roupa da prova, e ninguém sabia dessa joia”, complementa.

Por causa desses fatores, Beltrão diz que resolveu ficar com o medalhão e usá-lo durante todas as filmagens do filme e da série sobre a apresentadora. “Quando acabou o filme, eu contei para eles [para a família]. Eles lembraram que foi uma das últimas santas que ela comprou, em uma viagem. Eu fiz uma cópia para mim, e estou com a original para devolver para eles.”

A atriz conta sobre o episódio na segunda passada (20), em entrevista para falar sobre a série “Hebe”, que estreia na Globo, a partir do dia 30. Além da medalha, Beltrão falou também sobre uma curiosa coincidência que aconteceu antes das gravações.

Em 2001, quando ela fazia a novela “As Filhas da Mãe” (Globo), sua colega de elenco na trama, a atriz Bete Coelho recomendou que Beltrão comprasse o perfume Eau du soir. Ela seguiu a orientação, mas acabou não usando a fragrância por achá-la muito forte para o clima do Rio.

Apesar disso, a atriz não quis se desfazer do frasco, e o deixou em São Paulo por quase 20 anos, cidade em que não mora, mas onde possui um imóvel. Na véspera do início das filmagens, ela e o marido, Mauricio Farias, diretor da cinebiografia, jantaram com Claudio Pessutti, sobrinho de Hebe. Como desejo de boa sorte, Pessutti a presenteou exatamente com o mesmo perfume, usado pela apresentadora.

“Ele contou que foi o último vidro que ela comprou na vida, em uma viagem para Miami. Aí eu, ‘sobrenatural de Almeida, falei: ‘Ó….já tinha achado a medalha, aí veio o perfume…'”, relata Beltrão.

Na ocasião, a atriz conta que não teve coragem de dizer para Claudio que tinha um frasco da fragrância. Ela decidiu levar um deles para usar no set, e o outro, deixou em casa para borrifar em si antes de sair para as gravações. “Eu tacava o perfume em mim, o pessoal da equipe saia correndo, porque era forte mesmo.”