Aguinaldo Silva, 77, se manifestou nas redes sociais nesta quarta-feira (12) após a opinião do ator Marcos Pigossi, 31, que está no ar na reprise de “Fina Estampa” (Globo), repercutir na noite de terça. O artista participou de uma live nas redes sociais do canal GNT.

Durante a transmissão ao vivo, Pigossi afirmou que se envergonha de ter feito parte da novela escrita por Aguinaldo Silva. “Eu me vendo agora em 2011, eu tinha 22 anos, com umas mechas loiras no cabelo. Fora o que se falava. Essa novela deveria ser proibida de reprisar porque são tantas barbaridades. É uma loucura passar uma novela dessa”, afirmou.

Por sua vez, o autor da trama fez um desabafo em seu Twitter, onde disse que o comentário de Pigossi endossa a censura. “Um ator diz que ‘Fina Estampa’ devia ser proibida de ser reprisada. Acho que ele quis dizer que os 50 milhões de espectadores que a veem deviam ser proibidos de gostar tanto da reprise da novela. E eu, que vivi os tempos da censura, achando que finalmente era proibido proibir…”, escreveu.

 

 

Aguinaldo Silva, que encerrou seu contrato com a Globo no início deste ano, disse que o comentário de Marcos Pigossi era controverso. “Quando um artista que se considera libertário diz que o trabalho de mais de 150 pessoas que vivem das artes como ele devia ser proibido… Bem, alguma coisa está errada.”

“Críticas eu aceito, desde que não sejam à minha vida pessoal, que só a mim diz respeito. O que não aceito é que alguém, ainda mais um artista que se considera ‘libertário’, se manifeste a favor da censura, ou seja, de tudo de autoritário e fascista que existe por trás dela”, finalizou Silva.

Na trama, Pigossi vive Rafael, empresário que já até foi preso após fraudar a empresa de motos. Depois, muda de vida e de caráter pelo amor de Amália (Sophie Charlotte), filha da protagonista Griselda (Lilia Cabral).

Matérias Relacionadas