No início da década, poucos, foram os artistas que souberam consolidar os laços com o seu público durante o ‘boom’ da convergência musical. Janaina Fellini, foi uma destas vozes que, semeou seu canto e colhe, até hoje, os frutos desse ecoar.

Tangerina (Bernardo Bravo/Conde Baltazar) divulgada em single, há seis anos pelo SoundCloud – distribuída recentemente nas plataformas de streaming – ganhou há poucas semanas, um clipe com mais de 50 fãs, amigos e parceiros desta trajetória.

“Atravessando lares e rotinas, a ‘Tangerina’ se torna uma rede. Neste momento de instabilidade, dúvidas e desconexão, a rede é ponte e travessia. Descanso e movimento. Uma amostra de que a arte sempre é um bom caminho em direção à vida”, prolifera Janaina Fellini. (Foto: Gilberto/Divulgação)

Seguindo a tendência causada pelo Covid-19, conectados à distância, para a produção audiovisual do clipe, os vídeos foram produzidos individualmente e encaminhados para Ulisses Candal que, assina a edição e montagem. A música, reúne a participação de nomes essenciais da atual cena da produção musical:  Du Gomide (guitarra), Glauco Sölter (contrabaixo), Alonso Figueroa (teclados e programação), Sergio Monteiro Freire (Sax tenor e barítono) e Denis Mariano (bateria).

Em entrevista exclusiva ao Música é o Canal, a cantora conta sobre o início do projeto Tangerina e revela sua trajetória na música, assista e se inscreva no canal:

 

Filha de sanfoneiro, em uma família onde as mulheres são cantoras  e homens instrumentistas; com pouco mais de dez anos de trajetória, Janaina Fellini foi a primeira a assumir o ofício. Além do seu álbum de estreia homônimo de 2012, em sua discografia, Casa Aberta (2015) foi o responsável por projetar a carreira da cantora.

O álbum é assinado por um dos principais arranjadores da música afro-brasileira, o maestro Letieres leite e a produção do famigerado Beto Villares. Ambos, dois dos principais nomes – em atividades até hoje – responsáveis por projetos essenciais para se entender a evolução da produção musical brasileira, durante a convergência musical, nas duas últimas décadas.