Chico Buarque, em 1965, cantava A Rita, uma história sobre a rejeição amorosa de uma mulher que, ao partir, levou com ela tudo que possa representar vida.

“A Rita matou nosso amor
De vingança
Nem herança deixou
Não levou um tostão
Porque não tinha não, mas causou perdas e danos..
(… ) Que papel!
Uma imagem de são Francisco
E um bom disco de Noel”

Chico, em sua poesia musical, se vale de inúmeros recursos poéticos, como a aliteração — repetição de fonemas com efeito estilístico (“Levou seu retrato, seu trapo, seu prato”) — e as rimas ricas, quando as palavras rimadas pertencem a diferentes classes gramaticais (papel/ noel- tostão/ não). Muitos anos depois, Ana Carolina traz a Resposta da Rita, uma canção em que a personagem de Chico rebate as acusações sofridas. Leia mais AQUI

Veja o clipe da música Rita:

Assista a entrevista de Leo Dias com Tierry e Gabi Martins