O ator Tuca Andrada, 55, que representa o policial corrupto Belizário em “Amor de Mãe” (Globo), recebeu ameaças de morte em suas redes sociais, nesta quarta-feira (22), após postar críticas ao presidente Jair Bolsonaro.

“Sua hora está chegando, você vai ser morto em breve”, afirmou um internauta, que teve os posts copiados e expostos pelo ator. O seguidor ainda completou: “Aliás, continua assim, estamos aumentando os atiradores”.

“Ai que medo de você, machão”, respondeu o ator ainda nas redes sociais. “Pronto, agora você está famoso, Printei e já coloquei no feed sua ameaça”, continuou Andrada, que recebeu apoio de famosos e de outro internautas.

Entre as mensagens de apoio estavam as das atrizes Letícia Sabatella, 49, Maria Padilha, 59, e Virgínia Cavendish, 49. “Que loucura, meu Deus! Já passei por ameaças assim”, recordou Sabatella. “É fake, mas denuncia”, disse Padilha.

Foto: Reprodução/Instagram

Andrade está afastado da TV, desde o mês passado, por causa da suspensão das gravações de novelas devido à pandemia do novo coronavírus. Ainda não há previsão de quando “Amor de Mãe” retornará à grade da emissora.

Contrário ao governo Bolsonaro, ele costuma expor suas opiniões em suas redes sociais com frequência. “Se um bolsominion discordar de teu post é um bom sinal. Se ele ficar bravo, é porque você está certo. Agora, se ele te xingar, você está coberto de razão”, afirmou no Instagram pouco antes das ameaças.

A reportagem procurou a Globo para saber se Tuca Andrada vai registrar boletim de ocorrência contra o responsável pelas ameaças, mas ainda não obteve resposta.

No início de abril, foi a atriz Maria Flor, 36 que recebeu ameaças, após fazer um comentário contra Bolsonaro no canal que compartilha com o marido, o ator Emanuel Aragão, 37, no YouTube. Ela chegou a fechar os comentários nas redes sociais e deixou de ir ao supermercado por medo.

Na ocasião, ela relacionou as ameaças ao machismo: “Não existia só uma indignação em relação ao fato de eu ter falado mal do nosso presidente, a indignação era pelo fato de eu, ‘uma mulherzinha dessas’, ter me colocado. Parece que a mulher não pode ter essa agressividade”, comentou ela.

As ameaças aconteceram após Maria Flor afirmar que queria “pegar o Bolsonaro e esfregar a cara dele no asfalto quente até ele ficar com a cara toda esfolada e a pele dele sair e eu arrancar com a mão, com o dente, pegar aquele olho dele e enfiar os dois dedos, assim.”